Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

29
Set18

Top 20 dos Goleadores em Campeonatos Nacionais (Europa)


Pedro Azevedo

 Jogador País de nacionalidade Campeonatos Golos
Josef Bican Áustria/Checoslováquia Áustria/Checoslováquia 518
Ferenc Puskas Hungria/Espanha Hungria/Espanha 517
Imre Schlosser Hungria Hungria/Áustria 417
Gyula Zsengeller Hungria Hungria/Itália 411
Jimmy McGrory Escócia Escócia 410
Stjepen Bobek Jugoslávia Jugoslávia/Áustria 403
Cristiano Ronaldo Portugal Portugal/Inglaterra/Espanha/ Itália 401
Ferenc Szusza Hungria Hungria 393
Lionel Messi Argentina Espanha 388
Albert de Cleyn Bélgica Bélgica 377
Gunnar Nordahl Suécia Suécia/Itália 374
Jef Mermans Bélgica Bélgica 367
Jimmy Greaves Inglaterra Inglaterra/Itália 366
Gerd Muller Alemanha Alemanha 365
Ferenc Deak Hungria Hungria 358
Sandor Kocsis Hungria Hungria/Suiça/Espanha 341
Fernando Peyroteo Portugal Portugal 332
Fernando Gomes Portugal Portugal/Espanha 331
Eusébio Portugal Portugal 317
Ruud Geels Holanda Holanda/Bélgica 313
29
Set18

O Guarda-redes


Pedro Azevedo

Se o objectivo (goal, em inglês) de um jogo de futebol é o golo - o equivalente a um orgasmo, para o bi-bota Fernando Gomes -, impedi-lo é o anti-climax, pelo que o guarda-redes é um desmancha-prazeres por natureza. Talvez por isso, as regras estabelecidas em 1848, na Universidade de Cambridge, não contemplavam a figura do "keeper", posição que só passou a existir em 1871. 

 

Por tudo isto, existe uma não confessada má-vontade contra o guarda-redes, ele é um mal-amado. Se é perdoado a um ponta-de-lança perder um golo de baliza aberta, a um extremo falhar um drible ou um centro, a um médio errar um passe e a um defesa fracassar no desarme, nada é consentido a um guarda-redes. Se der um "frango" e daí resultar a derrota da sua equipa, bem pode efectuar uma mão-cheia de defesas impossíveis que nem assim será absolvido pelo tribunal dos adeptos.

 

Condenado a observar o jogo à distância, isolado, apenas com dois postes e uma barra como companhia, é como um prisioneiro solitário numa cela, sómente aguardando a sua própria execução. E quando lhe aparece um adversário sózinho pela frente e sai ao seu encontro, parece percorrer o corredor da morte (Dead man walking), à espera de um indulto de última hora. Isso talvez justifique porque o mais famoso guarda-redes de sempre (Lev Yashin) e alguns dos melhores da história do nosso Sporting (Azevedo, Carlos Gomes e Vítor Damas) escolheram se equipar de preto: o luto era adequado a quem sabia que a coisa, provavelmente, ia acabar mal.

 

Curiosamente, e em contra-ciclo, à medida que o futebol se foi tornando mais cinzento, cínico, burocrático, cerebral e os treinadores sacrificaram o objectivo do jogo à estratégia e à táctica, os equipamentos dos guarda-redes foram ganhando côr, como se agora acreditassem que tudo vai correr bem. Mas é um engano. Barbosa, arqueiro do Brasil no Mundial de 1950, batido pelo uruguaio Ghiggia na final, resistiu 50 anos como um condenado, tendo de conviver com desconsiderações várias, punido por adeptos, que até, certa noite, furtivamente, lhe colocaram a baliza daquele dia no Maracanã no seu jardim. Para que nunca se esquecesse! Meio-Século pagando por um crime que não cometeu (Barbosa foi considerado o melhor guardião desse Mundial), num país onde a pena máxima para qualquer tipo de crime é de 30 anos...

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Metralha

    O Sporting não irá acabar, simplesmente irá demora...

  • Metralha

    Caro Pedro,Obviamente que a " comunicação" está be...

  • JG

    Se esperarmos que o bom senso tome conta de Varand...

  • Pedro Azevedo

    Muito obrigado, Luís. Recuperei o texto porque a m...

  • Pedro Azevedo

    É o que parece, sim. Dois extremos que se degladia...