Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

31
Mar19

Sporting vence Taça de Portugal de futsal


Pedro Azevedo

O Sporting bateu hoje o Benfica, após marcação de grandes penalidades (3-2), conquistando assim a Taça de Portugal de futsal. No final do tempo regulamentar o resultado estava numa igualdade a 4. No prolongamento houve um golo para cada lado, recorrendo-se então aos penáltis. Para o Sporting marcaram Dieguinho, Cardinal, Cavinato e Merlim. Houve ainda um autogolo de um jogador encarnado. Nas penalidades, Cardinal, Dieguinho e Merlim não perdoaram. Destaque para o guarda-redes suplente, Gonçalo Portugal, que defendeu o castigo máximo de Robinho.

31
Mar19

Tudo ao molho e fé em Deus - O oculto


Pedro Azevedo

O Jorge Jesus é que tinha razão: o futebol é uma ciência cuja compreensão não é para todos. Por exemplo, para um comum mortal, o "tackle" de Ristovski - chegou à bola bem antes do adversário e não poderia ter cortado as pernas no processo, nem sido mais resistente ao movimento de deslizamento - é um lance absolutamente normal, mas para o perito de arbitragem da SportTV, ex-árbitro mediano (para ser simpático) e "especialista" em física com doutoramento em inércia do movimento, Sérgio Piscarreta, é um vermelho inequívoco. O mesmo senhor que consegue ver, numa entrada de Jefferson ao pé de Bruno Fernandes, "pernas encolhidas", razão para só ser mostrado o cartão amarelo, e que acha que Manuel Mota "geriu muito bem" o jogo ao desrespeitar as regras (digo eu) quando Niltinho agrediu ao pontapé o mesmo Bruno Fernandes. Realmente, JJ estava certo, o futebol, o português bem entendido, é uma ciência. Oculta, diria eu, cujo conhecimento só está ao alcance de certas pessoas, iluminadas por certo. Há que ser humilde e entender tudo isto no âmbito do esoterismo, caso contrário ainda poderíamos ser levados a pensar que o Estaline era um menino no que respeita a reescrever a história quando comparado a Piscarreta&friends.

 

A equipa leonina mais uma vez apresentou-se em campo em inferioridade numérica. Apesar disso, adiantou-se no marcador quando Bruno Fernandes encontrou Ristovski sózinho na área e este assistiu o Filipe das Consoantes para o seu primeiro golo de leão rampante. Uma espécie de Kramer contra Kramer, mas na versão Filipe contra Filipe. (Houve também Mota árbitro e Mota treinador, mas nada os movia um contra o outro.) O Sporting dominava e criava boas oportunidades em remates à entrada da área, mas a incapacidade de Wendel em enquadrar um pontapé com a baliza (ele e outros com a mira descalibrada devem estar a precisar de mais umas folgas...) ia adiando a tranquilidade no marcador. Outras jogadas promissoras seriam interrompidas pelo árbitro, num claro benefício do infractor que deverá ser enquadrado numa qualquer teoria do senhor Piscarreta que deve ter escapado à UEFA e à FIFA aquando da elaboração dos regulamentos ou recomendações dos respectivos comités de arbitragem. (Depois queixem-se de que não há árbitros portugueses nas fases finais das grandes competições internacionais de selecções.)  

 

O segundo tempo seguia no mesmo tom, com os leões agora a beneficiarem da paridade numérica em campo, após novo amarelo a Jefferson por outro entrada dura. Até que o Gallo cantou e despertou os de Chaves: o passe do Bruno flaviense encontrou a desmarcação de André Luis, Coates ficou para trás e Renan acabou batido sem apelo nem agravo. Estava decorrida uma hora de jogo. Eis então que Marcel Keizer decide ter um momento de génio ao fazer entrar Doumbia, passando o Sporting a jogar com 11. É que o treinador leonino recentemente assegurou-nos que com ele jogam sempre os melhores, mas eu já ficaria contente se ele garantisse que entramos sempre com 11...

 

A entrada do marfinense praticamente coincidiu com uma paragem de 7 minutos para assistência ao guardião flaviense. Quando este finalmente foi substituido, o jovem Cabral também foi a jogo, naquela substituição clássica em que Borja - mais uns malabarismos inconsequentes - sai e recua Acuña. O Sporting intensificou a pressão e, na sequência de um canto, o argentino vislumbrou Bruno Fernandes, de braços abertos, a pedir a bola desmarcado à entrada da área. A bola chegou ao maiato e este, de primeira, fez um golo de bandeira. Com vantagem no marcador e mais um homem em campo, o Sporting começou a controlar o jogo, termo futebolístico que consiste em jogar para trás e para o lado, semelhante ao encanar a perna à rã, expressão provavelmente mais apropriada a quem escreve num espaço SAPO. Depois aconteceu o tal lance de Ristovski, a bola viajou até Raphinha, este encarou um último defesa e foi derrubado. O árbitro sancionou a falta e expulsou um flaviense. Seriam 11 contra 9, mas o vídeo-árbitro Vasco Santos alertou Manuel Mota para a tal suposta infracção inicial do macedónio. Eis então que Mota volta atrás na sua decisão, retira o vermelho ao jogador do Chaves e expulsa Ristovski. Sobre isto, só me oferece dizer que dúvido que depois deste episódio mais alguém vá comprar uns bifes ao talho de Manuel Mota: é que o homem não sabe o que é um corte limpo...

 

Em poucos segundos, um 11 contra 9 transformava-se num 10 contra 10: a emoção do futebol português não merece ser exportada para o mundo? Pobre Ristovski, há uns meses atrás teve galo ao ser expulso, agora foi de carrinho (ou de Mota?). 

Faltavam dois minutos para o final do tempo regulamentar, mas Manuel Mota deu mais 11 minutos de compensação. O Sporting tentava esconder a bola e os flavienses, na ânsia de a recuperarem, batiam em tudo o que mexia à sua frente. A reacção do árbitro, segundo Piscarreta, era a de gerir o jogo, a dos comentadores da SportTV uma coisa em forma de assim, ou nim, ou coisa nenhuma. Até que, numa das poucas vezes em que conseguiu manter a integridade dos seus tornozelos, Bruno Fernandes fez um passe frontal para Jovane e este, com um toque subtil, deixou Luíz Phellype na cara de Ricardo, o guardião que entrara para o lugar de António Filipe. O brasileiro não perdoou e coroou a sua estreia a marcar com um bis. E assim saímos de Chaves com os 3 pontos e à espera da despenalização de Ristovski para o jogo de quarta-feira. Só espero que o Conselho de Disciplina não reúna na quinta...

 

"This sh*t is a joke". Oh, yeah!

 

Tenor "Tudo ao molho": Bruno Fernandes (destaques para Mathieu, Acuña e Phellype). 

bisluizphellype.jpg

(Imagem: A Bola)

30
Mar19

Quiz18 - Trocas entre rivais


Pedro Azevedo

Na era moderna do instituído Campeonato Nacional de futebol, quem foi o primeiro jogador a trocar o Benfica pelo Sporting?

 

Resposta: José Barroca, guarda-redes do Benfica, cansado de ser suplente de Costa Pereira, chegou a Alvalade no início da temporada de 1963/64. Infelizmente para ele, tinha à sua espera Carvalho...

 

Vencedor do Quiz: O Leitor Carlos Ribeiro (tem revelado grande assertividade nas respostas) foi o único a acertar, sendo assim naturalmente o vencedor. Parabéns!

barroca.jpg

30
Mar19

Quiz17 - Campeão europeu


Pedro Azevedo

Filho de um grego estabelecido em Moçambique, veio para Portugal para jogar na Académica. Mais tarde, chegou ao Sporting, clube onde jogaria 7 temporadas e pelo qual ganharia dois campeonatos, uma Taça de Portugal e uma Taça dos Vencedores das Taças. Quem é ele?

 

Resposta: José Pérides, natural de Tete, Moçambique, e duas vezes internacional por Portugal foi o jogador aqui apresentado.

 

Vencedor do Quiz: Miguel Correia disparou rápido e não deu hipótese à concorrência. Parabéns!

29
Mar19

Quiz16 - Terceiro búlgaro


Pedro Azevedo

Depois de Balakov (aqui) e Iordanov, quem foi o jogador que Cintra contratou para completar o terceto proveniente da Bulgária?

 

Resposta: Internacional búlgaro, Bontcho Guentchev chegou ao Sporting na temporada de 1991/92, proveniente do ETAR Trnovo, a mesma equipa de Balakov. Realizou apenas 5 jogos pela equipa leonina, tendo marcado 3 golos, um deles de belíssima execução (bicicleta), contra o Benfica, num jogo a contar para a Taça de Honra da AFL. No final dessa época saiu para os ingleses do Ipswich Town.

 

Vencedor do Quiz: os Leitores Luis Ferreira, RCL, Carlos Ribeiro e Leão de Qiosque acertaram. Luis Ferreira foi o mais rápido, sendo assim o vencedor. Parabéns (e obrigado a todos pela participação)!

guentchev.jpg

 

29
Mar19

Parabéns Balakov!


Pedro Azevedo

Balakov completa hoje 53 anos. Nestas efemérides é normal produzirem-se algumas palavras de circunstância, de apreço pelo aniversariante. Confesso que escasseiam os adjectivos para classificar o jogador que "Bala" foi para mim. Talvez o Cherba na "Tasca" tenha dito tudo quando afirmou que "Krasimir Balakov foi o mais perto que tivemos de ter Maradona a jogar de leão rampante ao peito", ele que foi eleito para o "Dream Team" do Mundial de 94 ao lado de monstros como os italianos Maldini e Baggio, o romeno Hagi, o brasileiro Romário ou o seu compatriota Stoichkov. Eu concordo, e desde o primeiro dia em que o vi jogar, numa apresentação contra a sua equipa do ETAR Trnovo em que o homem me faz uma diagonal de 45º desde de trás do meio campo até à pequena área do adversário, deixando um sem número de esqueletos expostos no relvado, incapazes de ir à bolina com ele. Assim sendo, vou limitar-me a recuperar aqui um "Contos de um Leão Rampante" que dediquei ao búlgaro. Búlgaro, mas nada "bulgar", como naquela época dizia um amigo meu do Porto. Para ilustrar o conto, deixo-vos o vídeo do melhor golo que lhe vi marcar. Parabéns Balakov! 

 

"Ele rodopiava, ele saltava ao eixo entre oponentes que o apertavam, ele mantinha-se de pé, tal qual Maradona, mesmo quando carregado em falta. Ver Balakov jogar era como assistir a uma prova de 110 metros barreiras em que todos os obstáculos iam sendo fatalmente superados até à meta, o golo.

 

Assim foi certa tarde de sonho no Bonfim, quando sozinho destruiu o Vitória(?) - deixando atónita a multidão nas bancadas - pegando na bola com a sua abençoada canhota ainda no seu meio-campo (iludindo logo aí dois oponentes), resistindo posteriormente a carga dura, não cedendo miraculosamente à já antecipada queda, antes de preparar nova diabrura, com troca de pés driblando dois adversários em simultâneo(!), passando entre eles, para, de seguida, contornar o desamparado guardião da virtude vitoriana, encostando suavemente para golo com o pé direito. Um monumento! Uma bala humana com um destino certo, a baliza. Aliás, "Bala" ficaria para sempre o seu epíteto, nas "cov(as)" ficavam os que ousavam tentar contrariá-lo.

 

De vez em quando amuava e "desaparecia" do jogo, queria o contrato melhorado. Mas, regressava ao seu nível (e que nível, senhores!!). Por vezes, sebastianicamente, como naquela noite de nevoeiro feito de fumos de claques, quando disparou um míssil de pé direito(!) - sim, embora esquerdino de Ouro, não era manco do outro pé - apontado directamente ao aungulo superior esquerdo da baliza do benfiquista Silvino Louro. Bem, nesse dia, louros só para Balakov : "Que grande golo!", diria Sousa Cintra, em directo, ainda a procurar o seu lugar na Tribuna, aquando do golo madrugador que estreou uma nova forma de filmar os jogos de futebol em Portugal, com muitas câmaras e repetições de diversos ângulos, da SIC. Já para definir este búlgaro, só havia um ângulo, um encómio: genial."

29
Mar19

A energia by Keizer


Pedro Azevedo

Espreme-se uma entrevista a Marcel Keizer e pouco sumo se retira, para além do respeito pelo espectador consubstanciado numa ideia de futebol positivo que agrade às bancadas. Há, no entanto, uma recorrente alusão à palavra "energia". Tão constante no seu discurso que nem mesmo Joules a terá tanto empregue.

 

Energia não é mais do que a capacidade de produzir um trabalho ou de realizar uma acção concreta. Em física, a energia associada ao movimento dos corpos denomina-se de cinética. Adensando um pouco mais o conceito, a energia própria de uma equipa de futebol, que pressupõe a interacção entre corpos que ocupam diferentes posições espaciais tem o nome de energia potencial. Esta, segundo Faraday, implica a existência de um campo, uma forma de propagação de electricidade. 

 

O papel do treinador de futebol é assegurar que a corrente continue a passar no campo. Para que tal aconteça, o treinador não pode dar azo a que surjam interruptores que tornem o sistema aberto, ou permitir que alguns isolantes prevaleçam sobre os bons conductores de energia, interrompendo assim a interacção electromagnética. Por isso, mais do que falar da energia em geral, Keizer dever-se-ia aplicar em escolher correctamente a matéria que lhe permita ter uma corrente contínua e de alta intensidade. 

 

Não basta dizer que se vive o futebol 24 horas por dia. Quem só sabe de futebol, nada sabe de futebol. E a física talvez possa contribuir para que tenhamos uma boa energia...

keizer energia.jpg

28
Mar19

Caro é quem não produz...


Pedro Azevedo

À atenção de quem de direito, quando se fala em ir buscar alguém que nunca nos quis, tem um ordenado astronómico e falhou nos três últimos clubes que representou (Vietto), e se diz ter-se aberto a porta de saída a dois dos jogadores com melhor rendimento nos últimos anos no Sporting (Coates e Bas Dost), aqueles que conjuntamente com Bruno Fernandes, Acuña, Mathieu, Raphinha e, vá lá, Battaglia e Wendel, constituem o núcleo duro de qualidade da equipa principal do Sporting. 

 

Caro é quem pertence a uma classe média/baixa de futebolistas e não apresenta um rendimento de acordo com o seu salário/condições de empréstimo. Como Gudelj, actualmente, ou Campbell e Markovic no passado: jogadores que, além de não provarem, têm um custo de oportunidade, pois estancam a progressão desportiva e a valorização económica de jovens com potencial interessante. Aliás, se o sérvio e o maliano Diaby são tão bons jogadores, ao ponto de Keizer não prescindir deles, certamente não teremos qualquer dificuldade em vendê-los acima do valor do investimento que representaram para nós. Ou não? Ou será que as apostas do treinador e suas consequências no modelo de sustentabilidade económica só espõem à saciedade o equívoco que foi a sua contratação? 

 

Por último, já estamos todos cansados de sondagens de opinião promovidas através dos jornais. A boa gestão implica boas ideias e convicção na sua implementação, e certamente não será a delapidar a pouca qualidade já de si existente no plantel e a manter pesos mortos que se ganhará a apreciação dos sócios. Por muito boa imprensa que se tenha e por muita compaixão que se sinta pela banalidade dos discursos. 

28
Mar19

Quiz15 - Nível olímpico


Pedro Azevedo

Sócio de mérito e Prémio Stromp, este atleta de fundo e meio-fundo esteve presente na final de uns Jogos Olímpicos, ocasião onde bateu o record nacional da prova em que estava inscrito. Sete vezes campeão de Portugal em pista (3x nos 5000m, 3x nos 10000m, 1x nos 3000m obstáculos) e três vezes campeão europeu de clubes em corta-mato pelo Sporting, retirou-se nos anos 80, ficando ligado à modalidade como treinador. Em sua homenagem, uma câmara municipal atribuiu o seu nome ao pavilhão multidesportivo da localidade. Quem é?

 

P.S. Para quem só agora está a começar a responder, a minha ideia é diariamente apresentar alguns Quiz que avivem a memória sobre os êxitos colectivos e individuais de desportistas que tenham engrandecido a história do Sporting Clube de Portugal. O objectivo é apresentar 113 Quiz, fazendo coincidir o último com o 113º aniversário do Sporting Clube de Portugal. Como tal, a 1 de Julho de 2019 anunciarei aqui o nome do Leitor que mostrou melhor conhecer a história do nosso clube, bem como os nomes dos segundos e terceiros classificados. Periodicamente, de 10 em 10 perguntas, mostrarei aqui quem são os Leitores mais bem classificados. Jogue, ainda vai a tempo! Bons palpites!

 

Resposta: o atleta em causa é Aniceto Simões. Ingressou no Sporting em 76, depois de passagens por Benfica e Santa Clara. Recém-finalista dos 5000m nos Jogos Olímpicos de Monreal (8º lugar), no Sporting viria a ser decisivo para os 3 títulos europeus, ficando sempre entre os 3 primeiros leões (fecho da equipa), contribuindo assim para a prestação colectiva através de boas classificações individuais (8º em 77, 7º, à frente de Lopes, em 79, 15º em 81). 

 

Vencedor do Quiz: Os Leitores José Henrique Soares e RCL acertaram, mas José Henrique Soares (uma estreia) foi mais rápido e tornou-se assim o vencedor deste Quiz. Parabéns, aliás extensíveis a todos os que participaram e que nos deleitaram com belas histórias da epopeia do atletismo do Sporting, com Mamede à cabeça nesses comentários.

aniceto simões.jpg

27
Mar19

Excrecências medonhas


Pedro Azevedo

"Tira a mão do queixo não penses mais nisso
O que lá vai já deu o que tinha a dar
Quem ganhou ganhou e usou-se disso
Quem perdeu há-de ter mais cartas pra dar
E enquanto alguns fazem figura
e sucumbem á batota
Chega a onde tu quiseres
Mas goza bem a tua rota
 
Enquanto houver estrada pra andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada pra andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar
 
Todos nós pagamos por tudo o que usamos
O sistema é antigo e não poupa ninguém
Somos todos escravos do que precisamos
Reduz as necessidades se queres passar bem
Que a dependência é uma besta
Que dá cabo do desejo
A liberdade é uma maluca
Que sabe quanto vale um beijo" - A gente vai continuar (Jorge Palma)

 

Poderá haver quem goste deste tipo de coisas. Alguns até chamarão à colação a velha teoria de que a polémica é necessária e alimenta os seguidores do fenómeno futebolistico. Mas sejamos sérios: Vitor Catão e César Boaventura são a ponta do icebergue do estado em que mergulhou o futebol português. Sinais que parecem não incomodar as autoridades deste país, desde quem nos governa, passando pelo poder judiciário, até quem gere o nosso futebol. 

 

Só há uma forma de parar isto: os amantes do futebol fazerem boicote aos jogos, não comparecendo nos estádios e não vendo as transmissões televisivas. Se o dinheiro à volta do futebol começar a minguar, os agentes envolvidos vão sentir o solo a fugir-lhes dos pés e serão obrigados a definir regras, cumpri-las e regenerarem-se. A alternativa é continuarmos a fingir que nada se passa, à espera de umas quantas vitórias à Pirro, o que nos tornará cúmplices de toda a situação. A dependência é uma besta, como diria o Jorge Palma, mas se esta é a "droga" que nos servem, então eu prefiro a "metadona" das modalidades ou a "ressaca" de uma cura de desintoxicação. 

 

27
Mar19

Quiz14 - Até ao lavar dos cestos foram campeões


Pedro Azevedo

Iniciaram-se na prática do basquetebol em Moçambique, ao serviço do Sporting de Lourenço Marques. Várias vezes campeões nacionais e vencedores da Taça de Portugal pelo Sporting, formaram o quarteto de luxo proveniente do Ultramar, a base de um "cinco" pontualmente reforçado com americanos do calibre de um Crow, Carter ou Fultz, com o brasileiro Israel ou o português Baganha. A secção, que agora é recuperada a nível sénior, encerrou com eles campeões. Quem são eles?

 

Resposta: Mário Albuquerque, Nelson Serra, Rui Pinheiro e Carlos Lisboa. 

 

Vencedor do Quiz: o nosso Leitor Luis Barros. Parabéns!

basquetebol scp 77.jpg

Imagem: Wiki Sporting - Rui Pinheiro (11), Mário Albuquerque (12), Nélson Serra (5) e Carlos Lisboa (7)

27
Mar19

O novo Estádio Nacional!


Pedro Azevedo

Há países, como a França e a Inglaterra, que têm os seus estádios nacionais. Embora utilizem também outros recintos para a realização dos compromissos das suas selecções enquanto anfitriões - essencialmente em jogos de carácter particular - a maioria das partidas têm lugar no Stade de France (arredores de Paris, França) ou Wembley (Londres, Inglaterra). 

Espanhóis e portugueses (Portugal tem estádio nacional, mas aparentemente não preenche os requisitos) usam estádios de clubes. Simplesmente, enquanto os espanhóis vão diversificando, Portugal utiliza muitas vezes o mesmo estádio, o da Luz. Esta é pelo menos a conclusão que se retira da análise dos últimos 8 jogos destas 4 selecções. Ora, então vejamos: França - Stade de France (5 jogos), Stade Du Roudonrou, Guingamp (1), Groupama Stadium, Lyon (1) e Allianz Riviera, Nice (1); Inglaterra - Wembley (6), King Power Stadium, Leicester (1) e Elland Road, Leeds (1); Espanha - Manuel Martinez Valero, Elche (1), Beñito Villamarin, Sevilha (1), Mestalla, Valência (1), José Rico Perez, Alicante (1), Santiago Bernabeu, Madrid (1), El Molinon, Gijon (1), Nuevo Los Cármenes, Granada (1) e Municipal Reino de Leon, Leon (1); Portugal - Estádio da Luz (4), Afonso Henriques, Guimarães (1), Algarve, Loulé/Faro (1), Municipal de Braga, Braga (1) e Municipal de Leiria, Leiria (1). (Alvalade e Dragão, zero jogos.)

Assim, conclui-se que o nível de utilização do Estádio da Luz só encontra paralelo no dos estádios nacionais de França e Inglaterra. De uma forma totalmente diferente do que ocorre na nossa vizinha Espanha, país onde a descentralização é evidente. É caso para perguntar se o Estádio da Luz passou a ser o Estádio Nacional deste regime...

estádio da luz.png

26
Mar19

Quiz13 - Na sombra dos heróis


Pedro Azevedo

A equipa de sonho que maravilhou o mundo do hóquei era formada por Ramalhete, Rendeiro, Sobrinho, Chana e Livramento. A pergunta é: quem eram habitualmente os seus (3) suplentes?

 

Resposta: Carmelino (guarda-redes), Garrido (defesa/médio) e Jorge (avançado), eis o trio. Carlos Alberto (avançado) também pertencia a essa equipa, mas com uma utilização menor.

 

Vencedor do Quiz: os Leitores Miguel Correia e João Santos andaram lá perto, mas Carlos Ribeiro aplicou uma "stickada" mais rápida. Parabéns, é ele o vencedor.

hoquei campeões europeus.jpg

Imagem: Wiki Sporting - da esquerda para a direita e de cima para baixo: Sobrinho, Jorge, Chana, Livramento, Garrido e Torcato Ferreira (treinador); Carlos Alberto, Carmelino, Ramalhete e Rendeiro.

26
Mar19

Quiz12 - Casal d`ouro


Pedro Azevedo

Em Alvalade se viram pela primeira vez e daí viria a resultar um casamento. Casal de ouro do atletismo do Sporting, entre si conquistaram 46 títulos nacionais em diversas especialidades. Quem são eles?

 

Resposta: Raposo Borges venceu 9 campeonatos (7 na vara, 1 no dardo, 1 no decatlo). Adília Silvério ganhou 37! Isso mesmo, 19 no peso, 17 no disco, 1 no dardo. O Casal d`Ouro do atletismo leonino. A merecerem todo o nosso apreço e memória colectiva.

 

Vencedor do Quiz: O Leitor RCL não perdoou mal abriu a competição: um ensaio válido que lhe garantiu a vitória neste Quiz. 

raposo borges.jpg

adilia-silverio1.png

 

 

26
Mar19

Tudo ao molho e fé em Deus - Sérvios de deus Ronaldo


Pedro Azevedo

Em tempo de cristianismo no futebol português e mundial, os servos de deus Ronaldo passaram por um martírio aos pés do diabo Tadic, com heroicidade mantiveram a fé e ainda viram um milagre de Danilo acalentar a esperança na vitória. Mas santos há só um, o Fernando, e o segundo milagre ficou por realizar perante uma Sérvia que certamente terá surpreendido Marcel Keizer ao prescindir de um jogador do calibre (?) de Gudelj.  

 

Na verdade, o 2º milagre até podia ter acontecido quando Rukavina - o único que por milagre escapou à ditadura dos "ic" - meteu a mão à bola dentro da área, mas o árbitro preferiu a miopia (ou terá sido uma conjuntivic?) do auxiliar à sua boa visão ao perto, coisa que deixou o Fernando Santos irritadic. É que assim não há fé que assista a um gajic. (nem de propósito, também havia um no banco deles.)

 

O golo madrugador de Dusan Tadic e a prematura lesão de Ronaldo não inibiram a selecção portuguesa, a qual se manteve fiél ao seu apodo de campeã mundial do futebol sem balizas. É que dominamos sempre a meio-campo e até à entrada da área, mas depois a finalização é tão má que mesmo quando marcamos um golo ficamos a olhar para a repetição para termos a certeza de que não falhámos. 

 

Se calhar a solução passa por não jogar mais no Estádio da Luz: por um lado, os buracos na relva causados pelas toupeiras não ajudam a uma melhor definição das acções ofensivas; por outro, o mimetismo do local parece levar o nosso seleccionador a colocar em campo tudo o que veste (ou já vestiu) de vermelho, única razão que permite entender porque é que Diogo Jota, um dos valores emergentes da Premier League - 7 golos, incluindo dois ao Chelsea e um ao Manchester United, e 5 assistências em 1853 minutos, para além de um sem número de boas exibições - , habituado a jogar solto atrás do ponta-de-lança de serviço (o ex-benfiquista Jimenez, no Wolverhampton) foi novamente preterido, desta vez por um Guedes (2 golos e uma assistência em 1411 minutos, em Espanha) e por um Pizzi (entrou em substituição de Ronaldo), já para não falar da inexplicável opção por Dyego Sousa ou da utilização de Rafa,  que até tem sido útil a acelerar o jogo. A manter-se este status-quo, em vez da ‘Selecção de Todos Nós’ temo que venhamos a ser conhecidos como a ‘Selecção de todos os nós’...

 

Tenor "Tudo ao molho...": Danilo Pereira. Gostei também de Bernardo Silva, quando veio para o meio, e de Pepe na segunda parte, ele que na primeira parte tremeu como toda a equipa perante a exibição diabólica de Dusan Tadic. Cancelo para já o meu apoio a ... (João) Cancelo, jogador que ainda não voltou à forma que o notabilizou na Juventus antes de inoportuna lesão. 

danilo.jpg

(Imagem: O Jogo)

25
Mar19

Quiz11 - Mais de 150 jogos de leão ao peito


Pedro Azevedo

Natural de Angola, após uma curta passagem pelo Brasil (Vasco da Gama) sagrou-se bi-campeão nacional pelo Sporting. Internacional português num par de ocasiões, destacava-se pela velocidade, boa técnica e faro de golo. De quem é que estou a falar?

 

Resposta: Lito, nascido em Angola, veio para Portugal a fim de jogar no Vitória de Setúbal. Após dois anos no Braga, clube onde mais tarde terminaria a carreira, ingressou no Sporting, clube onde realizou 6 épocas e venceu 2 campeonatos, uma Taça de Portugal e uma Supertaça. Pelo meio ainda teve uma passagem fugaz pelo Brasil, alinhando pelos cariocas do Vasco da Gama. 

 

Vencedor do Quiz: os Leitores Carlos Ribeiro, RCL, Miguel Correia e João Santos acertaram. O vencedor, por ter sido o primeiro, é Carlos Ribeiro. Parabéns e obrigado a todos pela participação.

lito.JPG

(Imagem: Wiki Sporting)

25
Mar19

Folga na Formação


Pedro Azevedo

Poder-se-á alegar que são questões ponderosas de gestão de fadiga do plantel, mas digam lá se numa semana em que o treinador leonino poderia ficar a conhecer melhor os jovens do clube - parte da equipa principal está concentrada nas selecções - os três dias de folga concedidos não passam uma mensagem de pouco interesse pela Formação?

24
Mar19

Czech-mate (33º título europeu) !!!


Pedro Azevedo

Ao vencer os checos do GC Perun por 12-6, o Sporting é bicampeão europeu de Goalball masculino, o terceiro título de campeão da Europa dos leões na modalidade. É também o 33º título europeu do Sporting Clube de Portugal, a maior potência desportiva nacional!

 

24
Mar19

32º título europeu


Pedro Azevedo

A equipa feminina de goalball do Sporting acaba de se sagrar campeã europeia, ao vencer na final as dinamarquesas do BSI Copenhagen por 10-6. Segue-se a final masculina e a hipótese do título nº 33 (diga lá outra vez, para o caso de alguém se esquecer de o colocar na contabilidade geral de títulos europeus).

 

P.S. nota positiva: a SportingTV já fala em 32º título europeu. Há lutas que merecem a pena e esta é, seguramente, uma delas. Parabéns à secção de desporto adaptado e parabéns a todos os que, fazendo das fraquezas forças, vão ultrapassando as suas condicionantes e vencendo os preconceitos. 

24
Mar19

Quiz10 - A mesma música


Pedro Azevedo

Quem eram os igualmente 5 magníficos que compunham o quinteto atacante leonino que precedeu os famosos 5 Violinos? Uma dica: há um jogador em comum com o período posterior.

 

Resposta: o "5 maravilha" que antecedeu os "Violinos" era formado, da direita para a esquerda, por Adolfo Mourão, Soeiro (tio do "Violino" Vasques), Peyroteo, Pedro Pireza e João Cruz.

 

Vencedor do Quiz: os Leitores RCL e Carlos Ribeiro acertaram. O vencedor foi RCL.

Parabéns! Louvo o "fair-play" de Carlos Ribeiro. 

outros violinos.jpeg

Image: anotandofutbol. blogspot.com

Da esquerda para a direita, em baixo: Mourão, Soeiro, Peyroteo, Pireza, Cruz

Pág. 1/4

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.