Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

30
Abr19

O melhor Médio Ofensivo (ou 2º Avançado) de sempre


Pedro Azevedo

Este desafio de apontar o melhor "onze" de sempre do Sporting encerra dificuldades várias. Uma delas é não termos visto alguns dos jogadores históricos do clube (embora os tenhamos "visto" pelos olhos de Pais e Avós), outra a evolução dos sistemas tácticos e adequação da posição dos jogadores mais antigos aos tempos modernos. De um primitivo 2-3-5, o futebol evoluiu para o 3-2-5 de Herbert Chapman (Arsenal). Cândido de Oliveira, no Sporting, fazia recuar Travassos para organizar o jogo da equipa, estabelecendo-se assim uma espécie de 3-3-4, naquilo que constituiu em Portugal uma novidade: o médio atacante. Entre os finais dos anos 60 e a década de 70, as equipas começaram a organizar-se num 4-2-4, em que os dois médios eram essencialmente volantes. A partir da década de 80, o meio-campo começou a ser encarado como a zona nevrálgica do terreno, pelo surgiram o 4-3-3 e o 4-4-2 (pontas-de-lança em linha e, mais tarde, um por detrás do outro), ambos com geometrias diversas, desde triângulos e trapézios a losangos. Para este inquérito aos Leitores tive de ajustar as posições actuais de médio ofensivo (4-3-3 e 4-4-2 em losango) e de 2º avançado (4-4-2) aos jogadores do antigamente. Assim, Travassos aparecerá como "10" e o interior direito Vasques como 2º avançado. Feito o esclarecimento, vou passar a referir a lista (difícil) para votação. As opções, por ordem cronológica, são:

 

1) Travassos (médio ofensivo), o "Zé da Europa";

2) Vasques (2º avançado), o "Malhoa";

3) Osvaldo Silva (médio ofensivo), carrasco do Manchester United;

4) Oliveira (médio ofensivo), craque, "por cada leão que cair, outro se levantará";

5) Balakov (médio ofensivo), genialidade;

6) João Vieira Pinto (2º avançado), o "pai do Jardel";

7) Bruno Fernandes (médio ofensivo), a alegria do povo.

 

Fernando Peres será incluído nos alas esquerdos, ele que alternou a presença no zona central com o posicionamento na esquerda do ataque. Não hesitem (construam as Vossas opções de trás para a frente) e deixem aqui a Vossa opinião. Participem! Adicionalmente, pedia que ordenassem decrescentemente, do melhor para o menos bom, os sete jogadores. Agradecia apenas que, conjuntamente com o voto, indicassem o nome ou pseudónimo com que habitualmente aqui assinam. Então, está aberto o inquérito (até às 23h59 de hoje). O resultado será apresentado às primeiras horas de amanhã. Muito obrigado e viva o Sporting!

 

Resultados - "Melhor Médio Ofensivo de sempre": José Travassos (90 pontos). Completam o pódio Vasques (61) e Balakov (55).

travassos.png

José Travassos, o melhor Médio Ofensivo para os leitores de "Castigo Máximo"

 

29
Abr19

O cúmulo do descaramento


Pedro Azevedo

Passagem do Comunicado do Sporting Clube de Braga, emitido ontem: "Nos momentos de decisão, o SC Braga foi sempre impedido de disputar o 3.º lugar, sendo também flagrante a forma como o nosso competidor direto foi constantemente favorecido, jornada após jornada, para que o topo da tabela refletisse a hierarquia crónica".

 

Conclui-se da leitura do referido Comunicado que o Braga foi alegadamente prejudicado no jogo contra o Benfica para que... o Sporting saísse beneficiado. Digno da maior atenção da Academia Real de Ciências da Suécia, a fim de que junte aos Nobel da economia, física e química, aos Crafoord de astronomia, matemática, geociências e biologia, aos Aminoff de cristalografia e aos Schock de lógica e filosofia, a atribuição do prémio Salvador à "ciência" do descaramento. 

 

Por falar em Schock, quem choca é a galinha, mas o Ovo de Colombo não é para todos... 

 

 

29
Abr19

O melhor Médio Volante de sempre


Pedro Azevedo

Hoje, peço aos Leitores que escolham o melhor médio volante ("box to box") da nossa história. As opções, por ordem cronológica, são:

1) Carlos Canário;

2) Júlio Cernadas Pereira ("Juca");

3) Fernando Mamede Mendes;

4) Samuel Fraguito;

5) Carlos Xavier;

6) João Moutinho;

7) Adrien Silva.

 

Jogadores como Vagner, Tomé, Ademar, Nogueira, Baltasar, Rochemback, Jaime Pacheco (muito tempo lesionado) ou Sousa (bom desempenho, mas passagem muito curta) também foram equacionados até perto do fim.

Não hesitem (é ir de uma ponta a outra da nossa história) e deixem aqui a Vossa opinião. Participem! Adicionalmente, pedia que ordenassem decrescentemente, do melhor para o menos bom, os sete jogadores. Agradecia apenas que, conjuntamente com o voto, indicassem o nome ou pseudónimo com que habitualmente aqui assinam. Então, está aberto o inquérito (até às 23h59 de hoje). O resultado será apresentado às primeiras horas de amanhã. Muito obrigado e viva o Sporting!

 

Resultados - "Melhor Médio Volante de sempre": Fernando Mendes (89 pontos). Completam o pódio Fraguito (68) e Canário (51).

fernando mendes.jpg

Fernando Mendes, o melhor Médio Volante para os leitores de "Castigo Máximo"

28
Abr19

Cazaques curtos para sobretudo de leão


Pedro Azevedo

59A15669-C7CC-4A4F-993E-B5F2A1320F15.jpeg

 

O Sporting veio para ficar! Cavinato pregou a primeira estaca do circo Cardinal e Merlim fez um número de magia. Do outro lado, John Lennon (havia mesmo um jogador cazaque com esse nome) estava boquiaberto e não cantou. Por certo não foi por não ter (Hi)guita, mas talvez lhe tenha faltado Guitta. Imagine... Douglas ainda reduziu, mas a tenda não abanou. O Sporting é o campeão europeu de futsal. À quarta foi de vez! Spooooorting!

 

"Um clube tão grande como os maiores da Europa"

 

P.S. Que emoção ver os jogadores com a Taça a cantarem com todos nós "o Mundo sabe que..."

 

 

28
Abr19

O melhor Médio Defensivo de sempre


Pedro Azevedo

A evolução do futebol mundial consagrou tardiamente a posição de médio defensivo. O ancestral sistema de 2-3-5 contemplava um médio centro emparedado por um colega à esquerda e outro à direita. Mais tarde, Herbert Chapman adoptou no seu Arsenal o WM, que contemplava apenas dois médios volantes (actualmente o "8"). De seguida, o 4-2-4 manteve a situação até à adopção do 4-3-3 (anos 80) e do 4-4-2 clássico ou em losango, os quais incluíam (pelo menos) um médio mais defensivo. Assim, neste exercício, o meio-campo será composto por um médio defensivo ("cabeça de área"), um médio volante (ou "box-to-box") e um médio atacante (ou 2º avançado, pressupondo-se uma alternativa de 4-4-2 clássico). Hoje, peço aos Leitores que escolham o melhor médio defensivo da nossa história. As opções, por ordem cronológica, são:

1) Manuel Marques ("Manecas");

2) Oceano;

3) Douglas;

4) Paulo Sousa;

5) Aldo Duscher;

6) Paulo Bento;

7) William Carvalho.

 

Jogadores como Vidigal, Peixe ou Miguel Veloso também poderiam ter entrado nesta lista. Juca (5 vezes campeão como jogador) será considerado na eleição dos médios volantes, tal como Vagner (sem certeza de que aparecerá nos nomeados). Não hesitem (defendam o vosso voto no botão de comentários) e deixem aqui a Vossa opinião. Participem! Adicionalmente, pedia que ordenassem decrescentemente, do melhor para o menos bom, os sete jogadores nomeados. Agradecia apenas que, conjuntamente com o voto, indicassem o nome ou pseudónimo com que habitualmente aqui assinam. Então, está aberto o inquérito (até às 23h59 de hoje). O resultado será apresentado às primeiras horas de amanhã. Muito obrigado e viva o Sporting!

P.S. Tenho a impressão de que será uma das votações mais renhidas deste inquérito aos Leitores...

 

Resultados - "Melhor Médio Defensivo de sempre": Manuel Marques (71 pontos). Completam o pódio Oceano (67) e Douglas (59). 

manecas.jpeg

"Manecas", o melhor Médio Defensivo para os Leitores de "Castigo Máximo"

28
Abr19

Tudo ao molho e fé em Deus - O Castro e o ferro


Pedro Azevedo

Durante um quarto de hora, o Sporting abdicou de se acercar das muralhas do Castelo de Guimarães. A tarde, soalheira, convidava mais à praia do que a batalhas castrenses e um Sporting invulgarmente contido preparava o engodo para adormecer os vimaranenses. Propositadamente, ou devido aos ajustamentos necessários à integração de um novo elemento (Doumbia) numa zona vital do terreno, a equipa mantinha-se na expectativa. Entretanto, o Vitória tinha a ilusão de que controlava o jogo e ia trocando a bola de pé em pé. Convencido de que a melhor defesa é o ataque, o líder vimaranense ordenara aos seus guerreiros para atacar o último reduto leonino e Davidson esteve à beira de causar danos profundos, não fora um mau domínio no momento decisivo quando já só tinha Renan pela frente. Sentindo o perigo, os leões iniciaram a exploração do espaço nas costas do adversário. Primeiro desastradamente através de Diaby, um homem lançado brilhantemente por Keizer para criar no adversário a utopia de que nada tinha a temer. Sem que os de Guimarães o pudessem sequer imaginar, em pouco tempo o Sporting transformaria o castelo em ruínas arqueológicas dignas de um Castro. Como sabem, um Castro é típico da idade do ferro e Raphinha, Bruno Fernandes e Phellype substituiram o Carbono-14 nos testes ao metal. Pressentindo que os vimaranenses estavam datados, os leões atingiram pela primeira vez o seu coração, contando para isso com a colaboração de um observador independente - não vislumbrou uma manobra irregular fora da sua área do argentino Acuña - e de um cavalo de tróia, o antigo vitoriano Raphinha (autor do 100º golo do Sporting na temporada). Antes de uma breve trégua retemperadora de 15 minutos, tempo ainda para Phellype realizar o quarto e último exame ao ferro.

 

Reatada a batalha, Bruno Fernandes voltou a ameaçar as muralhas de Guimarães. Seria o presságio para o que viria a seguir: Raphinha dançou à porta do castelo, iludindo dois vimaranenses que a protegiam, e permitiu a Phellype finalmente arrombar a casa da guarda, a sexta vez que o faz perante cinco oponentes consecutivos diferentes.

Os vitorianos não desistiram e Keizer voltou a ser brilhante, trocando o inoperante Diaby por um hesitante Borja, um colombiano que a cada arrancada de 10 metros pára a fim de se interrogar sobre a condição humana, regressando de seguida ao local de partida. (Ao contrário do maliano, que denota inteligência nas movimentações mas tem assim um género de produto cerâmico em forma de paralelepípedo, vulgo tijolos, nos pés, o lateral que veio de um clube mexicano tem boa relação com a bola mas, das duas uma, ou parte para as jogadas de ataque com 1906 possibilidades no seu cérebro, e depois baralha-se e entra em convulsões com tanta opção, ou não tem nenhuma ideia, parte à aventura, e depois logo vê o que pode ou não improvisar, sendo que, seja qual fôr a hipótese mais credível, o resultado tem sido, em regra, a inconsequência.)

Claro que tudo isto fez parte de uma estratégia de disuassão do técnico holandês, servida para dar ao adversário a ilusão de que teria os leões na mão. A verdade é que os vimaranenses voltaram a morder o isco, mas o cansaço de Wendel - com a tarde quente e os 30 minutos que esteve a aquecer, Miguel Luís já estava em ponto de ebulição quando entrou em campo - , Bruno e Raphinha impediu que não ficasse pedra sobre pedra no castelo do Guimarães. Na senda da oportunidade aos jovens da nossa Formação, ainda houve tempo para o salomónico Keizer dar também 1 minuto a Jovane, o que a julgar pelo que tem acontecido a Xico Geraldes deve ser entendido como um presságio de que o cabo-verdiano deve ficar fora dos convocados na próxima semana. No final, nona batalha consecutiva ganha pelos leões. Como em tempos pediam os madridistas: venha a décima!

Em resumo, uma tarde bem passada, e se muito aqui se falou do ferro, dado o sol que incidiu sobre as bancadas também o bronze se tornou inevitável. ( "O ferro e o bronze" porventura seria um título mais apropriado para esta crônica.)

 

Tenor "Tudo ao molho...": Raphinha. Menções honrosas para Bruno, Phellype e Doumbia.

raphinha2.jpg 

27
Abr19

O melhor Lateral Esquerdo de sempre


Pedro Azevedo

Hoje, peço aos Leitores que escolham o melhor lateral esquerdo da nossa história. As opções, por ordem cronológica, são:

1) Hilário;

2) Da Costa;

3) Inácio;

4) Mário Jorge;

5) Fernando Manuel Mendes (para não confundir com o médio dos anos 60);

6) Rui Jorge;

7) Marcos Acuña.

 

Jogadores como Carlos Pereira ou Rodrigo Tello, Paulo Torres ou Vujacic (a melhor adaptação de um central aos flancos) também poderiam ter entrado nesta lista. João Morais, que só tarde na carreira recuou no terreno, estará na lista dos alas esquerdos. Não hesitem (é descer pela lateral até ao botão de comentários) e deixem aqui a Vossa opinião. Participem! Adicionalmente, pedia que ordenassem decrescentemente, do melhor para o menos bom, os sete jogadores. Agradecia apenas que, conjuntamente com o voto, indicassem o nome ou pseudónimo com que habitualmente aqui assinam. Então, está aberto o inquérito (até às 23h59 de hoje). O resultado será apresentado às primeiras horas de amanhã. Muito obrigado e viva o Sporting!

 

Resultados - "Melhor Lateral Esquerdo de sempre": Hilário (169 pontos, unanimidade dos votantes). Completam o pódio Inácio (85) e Rui Jorge (79).

hilário.jpeg

Hilário da Conceição, o melhor Lateral Esquerdo para os leitores do "Castigo Máximo"

26
Abr19

Morto o borrego, agora há que esfolar a pele


Pedro Azevedo

Grande vitória do Sporting, hoje em Almaty, ao bater o InterMovistar, de Ricardinho, nas meias-finais da Liga dos Campeões de futsal, por 5-3. Finalmente "morto o borrego", vencidos os nossos habituais carrascos e campeões europeus em título, agora há que ultrapassar os nervos que nos têm afectado em finais anteriores, dar tudo e ganhar a taça. O outro finalista sairá do jogo entre os espanhóis do Barcelona e os cazaques do Kairat Almaty. Marcaram para os leões Dieguinho (3), Deo e Cardinal. Spooooooorting!!!

26
Abr19

Os 2 melhores Centrais de sempre


Pedro Azevedo

Bom, agora é que a coisa irremediavelmente se complica. Esta lista de 14 jogadores que de seguida Vos apresento não será por certo consensual e deu-me muitas dores de cabeça. Estabeleci alguns critérios, como títulos importantes conquistados, capacidade individual e complementaridade, abri excepções para tentar premiar a categoria extra e a relevância da sua passagem pelo clube. Tudo ponderado, com muito pesar deixei de fora jogadores como Laranjeira, Alhinho, Bastos (3 vezes campeão), Caló, Morato, os brasileiros Ricardo Rocha, Marco Aurélio (desculpe, Imperador), Polga e Naldo, Phil Babb, Quiroga, Tonel, Carriço ou Coates (e escolhi "Manecas" como uma das hipóteses para médio defensivo, razão pela qual não consta aqui). Por esta altura, já todos terão percebido que hoje Vos peço que escolham os dois melhores centrais da nossa história. As opções, por ordem cronológica, são:

1) Jorge Vieira;

2) Álvaro Cardoso;

3) Passos;

4) Lúcio;

5) Alexandre Baptista;

6) José Carlos;

7) Eurico;

8) Venâncio;

9) Luisinho;

10) Stan Valckx;

11) Naybet;

12) Beto;

13) André Cruz;

14) Jeremy Mathieu.

 

Não hesitem (marquem bem as Vossas preferências) e deixem aqui a Vossa opinião. Participem! Adicionalmente, e de forma a que apuremos os vencedores (2), pedia que ordenassem decrescentemente, do melhor para o menos bom, os sete (e não 14) jogadores que Vos marcaram mais. Agradecia apenas que, conjuntamente com o voto, indicassem o nome ou pseudónimo com que habitualmente aqui assinam. Então, está aberto o inquérito (até às 23h59 de hoje). O resultado será apresentado às primeiras horas de amanhã. Muito obrigado e viva o Sporting!

 

Resultados - "Melhor dupla de Centrais de sempre": André Cruz (126 pontos) e Luisinho (104). Completam o pódio as duplas Valckx (85) e Mathieu (61) e José Carlos (52) e Eurico (51).

andré cruz.jpg

luisinho2.jpg

André Cruz e Luisinho, a melhor dupla de centrais para os leitores de "Castigo Máximo"

 

25
Abr19

O melhor Lateral Direito de sempre


Pedro Azevedo

Hoje, peço aos Leitores que escolham o melhor lateral direito da nossa história. As opções, por ordem cronológica, são:

1) Pedro Gomes;

2) Manaca;

3) Artur Correia;

4) João Luíz;

5) César Prates;

6) Cedric Soares;

7) Piccini.

 

Não hesitem (é descer pela lateral até ao botão de comentários) e deixem aqui a Vossa opinião. Participem! Adicionalmente, pedia que ordenassem decrescentemente, do melhor para o menos bom, os sete jogadores. Agradecia apenas que, conjuntamente com o voto, indicassem o nome ou pseudónimo com que habitualmente aqui assinam. Então, está aberto o inquérito (até às 23h59 de hoje). O resultado será apresentado às primeiras horas de amanhã. Muito obrigado e viva o Sporting!

 

Resultados - "Melhor lateral direito de sempre": César Prates (154 pontos). Completam o pódio Pedro Gomes (116) e Artur Correia (97).

césar prates.jpg

César Prates, o melhor Lateral Direito para os leitores de "Castigo Máximo"

24
Abr19

O melhor guarda-redes de sempre


Pedro Azevedo

Inicio hoje um desafio aos Leitores e Comentadores do "Castigo Máximo" que consiste em elaborarem o "onze" ideal histórico do Sporting Clube de Portugal, não com base na carreira global de cada jogador mas sim assente nas prestações ao serviço do nosso clube. Começando de trás para a frente, "comme il faut", rogo-Vos que escolham hoje entre estas sete extraordinárias opções, por ordem cronológica, para guarda-redes:

1) Azevedo;

2) Carlos Gomes;

3) Carvalho;

4) Vítor Damas;

5) Ferenc Meszaros;

6) Peter Schmeichel;

7) Rui Patrício.

 

Não hesitem (sempre fatal para um guardião) e deixem aqui a Vossa opinião. Participem! Adicionalmente, pedia que ordenassem decrescentemente, do melhor para o menos bom, os sete jogadores. Agradecia apenas que, conjuntamente com o voto, indicassem o nome ou pseudónimo com que habitualmente aqui assinam. Então, está aberto o inquérito (até às 23h59 de hoje). O resultado será apresentado às primeiras horas de amanhã. Muito obrigado e viva o Sporting!

 

P.S.1. Peso do voto - 1º lugar: 13 pontos; 2º: 9; 3º: 6; 4º: 4; 5º: 3; 6º: 2; 7º: 1.

P.S.2. Amanhã escolheremos o "melhor lateral direito"...

 

Resultados - "Melhor guarda-redes de sempre": Vítor Damas (122 pontos). Completam o pódio o dinamarquês Peter Scmeichel (89) e Rui Patrício (68).

vitor damas1.jpg

Vitor Damas, nº1 para os leitores de "Castigo Máximo"

24
Abr19

Quiz30 - Puro-sangue leonino


Pedro Azevedo

Era um puro-sangue lusitano em campo, dono de uma raça extraordinária condimentada por números de alta escola, características que lhe proporcionavam uma grande polivalência.

Nascido em lisboa e produto das escolas do Sporting, realizou 6 épocas na equipa principal do clube, período onde venceu dois Campeonatos Nacionais e duas Taças de Portugal e realizou 169 jogos. Como médio ou lateral direito, o seu rendimento foi sempre exemplar, o que lhe valeu duas internacionalizações A. 

Curiosamente, é hoje criador de cavalos. Quem é?

 

Resposta: Ademar chegou às escolas do Sporting em 1971. Tinha 12 anos e connosco permaneceu até 1983. Surpreendentemente, também ele saiu do Sporting, perdendo-se assim depois de Inácio e Eurico mais um elo da equipa que tinha sido campeã em 82. Ainda jovem, foi jogar para o Marítimo, na altura na segunda divisão, subindo de divisão e sagrando-se o melhor marcador do campeonato. Na altura jogava numa posição mais avançada no terreno, como médio armador. Mais tarde saber-se-ia que foi para a Madeira em trânsito para as Antas. No FC Porto foi campeão nacional na época de 84/85, somando esta vitórias às duas obtidas de leão rampante ao peito. 

 

Vencedor do Quiz: o nosso Leitor Miguel Correia. Acertaram também os Leitores Luís Ferreira, Carlos Ribeiro, Luís Barros e Alfacinha. Parabéns a todos e obrigado pela participação. 

24
Abr19

A não perder


Pedro Azevedo

Quinta-feira: 4º jogo da Final do Campeonato Nacional de Voleibol, no João Rocha;

Sexta-feira: Meias-finais da Liga dos Campeões em Futsal, em Almaty (Cazaquistão).

 

Benfica (quinta-feira) e Inter Movistar (sexta-feira) serão os nossos adversários.

 

Aí leões!!!

23
Abr19

Quando se confunde qualidade com despesa...


Pedro Azevedo

Nos jornais, regressa a narrativa de Janeiro que consiste na necessidade de se venderem os jogadores que mais pesam na folha salarial. Por isso, Acuña, Coates e Dost são mencionados. A que se junta a ideia de que Bruno Fernandes dificilmente continuará. Estranhamente, de Gudelj e Petrovic não se fala...

23
Abr19

Quiz29 - Decatlonista das modalidades


Pedro Azevedo

Praticou judo, karaté, basquetebol, ténis, ténis de mesa, râguebi, mas foi na caça submarina, polo aquático e, principalmente, natação e andebol que atingiu nível internacional, representando Portugal em diversas competições, de onde se destaca a participação nos Jogos Olímpicos de Tóquio (natação). É, sem dúvida, o atleta mais eclético da história do desporto português, com mais de 1500 medalhas e troféus conquistados no decurso de uma longa carreira. Quem é? 

 

Resposta: António Bessone Basto foi um extraordinário atleta do Sporting (e não só). Melhor nadador (Algés e Dafundo) da sua geração, com títulos de campeão em quase todas as distâncias e estilos, foi olímpico em Tóquio-64. Foi também praticante de Polo Aquático no Sporting e mais tarde dirigente, modalidade onde também chegou a internacional. Na Caça Submarina, ganhou 3 campeonatos individuais e 10 por equipas. No andebol (guarda-redes), venceu 7 títulos de campeão nacional, 5 dos quais de forma consecutiva, e fez parte de uma equipa ("Os Sete Magníficos") que ficou na história do Sporting Clube de Portugal. 

 

Vencedor do Quiz: O Leitor Luís Ferreira. Miguel Correia também acertou, bem como um Leitor que infelizmente não deixou o nome, algo que impediu que tivesse ganho o concurso, dado que até foi o primeiro a responder. Parabéns a todos e obrigado pela participação.

23
Abr19

Entre a Petit e a grande discussão


Pedro Azevedo

O futebol em Portugal é um jogo com imensas regras dentro do campo e poucas fora dele. Por isso, a controvérsia é uma constante, o que constitui um paraíso para a imprensa e para os blogues deste país. Sendo sempre mais fácil criticar comportamentos do que sugerir regras, passamos a vida a apontar o dedo a alguém, mas tudo continua precisamente igual. Deve ser a isso que se chama a função social do futebol, uma forma de libertação de frustrações diversas, de outra forma perigosamente reprimidas, e que se esgota nisso, sem quaisquer outras consequências práticas. Como sempre venho dizendo, o circo romano dos nossos dias. 

 

Acontece que o futebol hoje em dia é muito mais do que um jogo ou um espectáculo. É um negócio, onde há muito dinheiro a circular, e como qualquer outra actividade económica tem de ser regulado e supervisionado sem amadorismos, de forma profissional. Por isso, o problema não é Petit e a sua frontalidade - se ficasse calado teria actuado melhor? - , mas sim a impassividade dos organismos desportivos que supervisionam o futebol (Federação e Liga, esta última composta por clubes) e a sua incapacidade de criarem regulamentos e códigos de conduta que reprimam comportamentos pouco éticos. Desta forma, entregues a si próprios, os agentes desportivos vão sempre procurar o melhor para si, descurando o interesse global, apesar da obstinada resistência de um ou outro paladino da ética e da transparência, impotente(s) para virar o curso aos acontecimentos.  

 

P.S. enquanto estas e outras questões do futebol português não se resolvem (desconheço qualquer proposta do meu clube nesta matéria específica), talvez não fosse má ideia olharmos para dentro da nossa casa. É que se o Benfica derrotou o Nacional da Madeira por 10-0, o Sporting teve pelo menos 10 oportunidades de golo na Choupana. Só Diaby deve ter perdido uma meia-dúzia de chances. E acabámos a defender o 1-0. Já dizia Bobby Robson: o Sporting não tem "killer instinct"...

22
Abr19

A perspectiva da Formação


Pedro Azevedo

O sucesso é muitas vezes uma conjugação de preparação com a oportunidade certa. Quantos jovens da nossa Formação não se perderam por falta de preparação para o mediatismo da fama, ou falta de empenhamento? Quantos miúdos talentosos não se perderam por não terem tido oportunidades? 

 

É difícil a quem está de fora avaliar correctamente sobre as razões pelas quais nem sempre o talento tem correspondência no sucesso. Aliás, o próprio talento de um jovem é algo que divide os observadores. Por um lado, há quem ache que não temos talento entre os jovens para que estes ascendam à equipa principal. Outros há que pensam que o que falta é a oportunidade.

Em relação aos primeiros, recupero aqui o que se dizia de Adrien ou de William nos seus primeiros anos de seniores. Poucos apostariam dobrado sobre singelo nestes dois, na época, jovens da nossa Formação. Simplesmente, aos olhos da maioria, não tinham a qualidade suficiente. Acontece que a situação financeira debilitada do clube e a contratação de um jovem treinador português, conjugadas, criaram a oportunidade para a afirmação destes talentos, eles que andaram pelos campeonatos israelita ou belga sem grande notoriedade.

 

Adicionalmente, a aposta num jovem tem de ser consistente. Não se pode dar infinitas possibilidades a um Diaby e apostar aos soluços num jovem. Jovane, por exemplo, foi uma surpresa porque entrou bem na primeira equipa, mas perdeu alguma confiança e ritmo quando deixou de ser aposta. Em sentido contrário, Paulo Bento confiou em Rui Patrício pese embora sucessivos erros comprometedores do nosso antigo guarda-redes e o Sporting veio a retirar os frutos dessa aposta alguns anos depois. Tal só aconteceu porque Rui tinha qualidade, evidentemente, mas também por influência da persistência do treinador que lhe detectou essa qualidade e lhe incutiu confiança sem esperar resultados imediatos. 

 

Por tudo isto, entendi como curial fazer este Post, de forma a que não sejamos precipitados no julgamento das situações. Se é mais difícil para um adepto perceber se um jogador trabalha bem (ou não), mais fácil é fazermos uma introspecção sobre julgamentos precipitados que fizemos no passado. 

 

22
Abr19

Quiz28 - Estreia de sonho


Pedro Azevedo

Tendo-se iniciado nas camadas jovens do MTBA (Magoito, Tojeira, Bolembre e Arneiro de Marinheiros, freguesias de São João das Lampas - Sintra), este futebolista cedo integrou a Formação do Sporting. Após ter sido campeão nacional de juvenis, estreou-se na equipa principal ainda com idade de junior e logo contra o Benfica, em jogo que aliás venceu. Do seu currículo constam dois campeonatos nacionais, duas Taças de Portugal e uma supertaça. Quem é?

 

Resposta: Freire, sete épocas de leão ao peito, teve o seu período mais produtivo no clube entre 1979 e 1982. Estreou-se num jogo contra o Benfica a contar para a Taça de Portugal que o Sporting venceu por 3-0 com três golos de Manoel (ficou conhecido como o jogo do Manoooel). Jogador muito rápido e com boa técnica, teve dificuldade em se impôr numa linha avançada onde constavam vultos como Manuel Fernandes, Jordão ou Oliveira (e antes Keita e Manoel). Ainda assim, realizou 146 partidas pelo Sporting e foi internacional em uma ocasião (Israel).

 

Vencedor do Quiz: o nosso Leitor Miguel Correia antecipou-se a todos e foi o vencedor. Também acertaram os Leitores RCL e João Santos. Parabéns a todos e obrigado pela participação.

freire.jpg

22
Abr19

João Couto e a Formação


Pedro Azevedo

Imprescindível leitura em Tribuna Expresso

joão couto.jpg

Confirmando que é um valor seguro da nossa Academia, João Couto disserta sobre temas tão diversos quanto a influência de empresários e pais na carreira dos miúdos, Cristiano Ronaldo vs Fábio Paim, ganhar campeonatos juvenis vs formar jogadores, modelo de jogo vs criatividade, entre vários opiniões que merece a pena lêr.  

22
Abr19

Pequenas estórias da Champions


Pedro Azevedo

Mané, Firmino, Origi e Salah são os puros-sangue que dão tração à quadriga Ma-fi-o-sa do Liverpool, a qual se infiltra nas linhas atrasadas adversárias e lhes provoca grande dano. Mas os cavalos também se abatem e, tal como no célebre romance homónimo de Horace McCoy, o tango de Messi e Suarez pode testar ao extremo a resistência dos seus competidores.  

 

Os cavaleiros holandeses do Ajax são guerreiros armados de lanças bem afiadas. A esperança do Tottenham é que as esporas (Spurs, em inglês) nas suas botas possam constituir uma pedra no sapato. 

Pág. 1/3

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Blogs Portugal

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.