Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

04
Jun20

A álgebra do futebol


Pedro Azevedo

Quando oiço falar em Sistema Táctico vejo isso sempre explicado através de linhas estáticas no terreno. Bem sei, os treinadores sempre vêm avisando que o futebol é dinâmica, mas o adepto comum tem tendência a simplificar as coisas como elas se desenham no papel. 

 

Em boa verdade o futebol é um jogo matricial em que se torna necessário preencher várias zonas do relvado a que vou chamar de pontos. Nesse sentido, esses pontos não advêm só de linhas mas também de colunas (corredores), pois o futebol é largura e comprimento. (A profundidade a meu vêr é erradamente chamada à colação, a não ser que estejamos a falar de jogo de toupeiras.)

 

Imaginemos, por exemplo, uma equipa que jogue em 4-4-2 clássico, ou, mais concretamente, num 4-1-3-1-1, com um "6", um "8", um "meia ponta" e um "ponta de lança". Se pensarmos em termos de colunas, teremos uma formação disposta em 2-1-4-1-2, onde, da direita para a esquerda, existirão lateral e ala direito, central pela direita, posição 6, 8, meia ponta e ponta de lança, central pela esquerda, lateral e ala esquerdo. Ora, conjugando com as 5 linhas, teremos como resultado final uma matriz de 5 por 5, isto é, de 5 linhas e 5 colunas, onde há 25 pontos de intersecção que representam espaços a preencher. 

 

Continuando no mesmo exemplo, o espaço (1,1) seria o do lateral direito, (1,2) seria o do central do lado direito, (1,3) não estaria ocupado, (1,4) seria o do central pela esquerda e (1,5) seria o do lateral esquerdo. Avançando nas linhas, (2,3) seria o espaço da posição 6, ficando (2,1), (2,2), (2,4) e (2,5) por preencher. Na terceira linha teríamos (3,1) equivalente ao espaço do ala direito, (3,3) a posição 8 e (3,5) o ala esquerdo, não sendo ocupados (3,2) e (3,4). As quartas e quintas linhas seriam apenas ocupadas pelas posições (4.3) e (5,3).  Como se pode comprovar, as 10 posições à frente do guarda-redes estão preenchidas por esses pontos de intersecção. Ficam, no entanto, por ocupar 15 pontos estratégicos. Como resolver isso?

 

O futebol é um jogo de estratégia que tem as suas semelhanças com o xadrez. Não se trata só de ocupar o espaço da melhor maneira sabendo de antemão que a dimensão do "tabuleiro" de jogo é grande de mais para o número de "peças", mas também pensar para (e por) onde queremos desviar (dissuadir) as "peças" do adversário para melhor podermos ocupar espaços futuros de conquista. Porém, independentemente da estratégia definida por um treinador, o futebol não é só ocupação de espaço, ou dinâmica. É também tempo. Assim, tal como numa partida de "rápidas" de xadrez, executar rápido e bem torna-se decisivo. E essa é a razão pela qual recepção e passe são o mais importante num jogo de futebol. Quando conjugados com a qualidade de remate, então tornam-se letais. 

algebra.png

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 04.06.2020

    Caro Aboím,

    um Determinante é uma função que traduz uma matriz quadrada (como esta, 5x5) num número real.

    Não imagino também os jogadores no terreno a pensarem em linhas e colunas, mas vejo os treinadores a poderem pensar o jogo assim. Talvez quem só saiba de futebol não saiba nada de futebol, o apoio de outras ciências (psicologia, gestão de recursos humanos, matemática, filosofia...) e até de outros desportos pode ser muito importante.

    Quanto ao xadrez, é verdade que o bispo no futebol axadrezado tem grande impacto pelas suas movimentações sub-reptícias e enviezadas. Além disso, o bispo tem grande capacidade de se evadir rapidamente do tabuleiro de jogo, pelo que não é fácil pô-los no "xadrez". Depois, há vários peões que desejam agradar ao Rei e se dão à morte por ele. Também há cavalos de todo o tipo, desde puros-sangue árabes, lusitanos ou até cavalos de tróia que justificam os augúrios das cassandras. Também há torres altaneiras que permitem vigiar tudo o que se passa e actuar linearmente. E abelhinhas-raínha com ferrão mortal e grande capacidade de trabalho (de bastidores).

    Hoje é para ganhar, caro Aboím.

    um abraço

    SL
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Mais sobre mim

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Mensagens

    Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2021
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2020
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2019
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2018
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D

    Castigo Máximo

    De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

    Siga-nos no Facebook

    Castigo Máximo

    Comentários recentes

    • Pedro Azevedo

      Essencialmente, Fernando Santos é um treinador ama...

    • JG

      No que à AT diz respeito o Selecionador pode estar...

    • Pedro Azevedo

      Sim, Jose, a prevenção de conflito de interesses é...

    • Pedro Azevedo

      Caro JG, palavra de honra que não me lembro de uma...

    • JG

      Caro Pedro Azevedo á uma sensação geral de desapon...