Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

28
Fev19

A verdade


Pedro Azevedo

Em tempos não muito remotos expliquei que a "cava" que se estava a fazer na época 2017/18 poderia ter consequências muito nefastas - tudo isto num tempo em que os sportinguistas em geral não o queriam ouvir -, caso alguns cenários projectados se viessem a não confirmar. Relembrando, nessa temporada, a Sporting SAD registou Custos com Pessoal no valor de 73,7M€, viu as rubricas de Fornecimentos e Serviços externos (FSE) e de Amortizações subirem cada uma para cima de 20M€ e ainda fez o maior investimento da sua história no reforço da equipa de futebol (63,7M€), parte significativa do qual obedecia a um plano de pagamento (a clubes e a empresários) plasmado no Passivo, na rubrica Fornecedores que agora voltou a vir à baila. A aposta feita tinha com plano de contingência para uma eventual não ida à Champions a venda de jogadores. Acontece que as consequências dos acontecimento de Alcochete - rescisões de 6 jogadores do plantel principal -  foram desastrosas para o clube e criaram imediatamente um constrangimento tanto a nível de Resultados como, principalmente, a nível de liquidez.

Tudo isto elencado, mandaria a prudência que nesta temporada de 2018/19 se emagrecessem substancialmente os Custos com Pessoal e que se apostasse na Formação em vez de se ir de novo ao mercado contratar jogadores. Ora, nada disto foi feito. Não só se herdaram os 14 milhões de euros já investidos pela Direcção de Bruno de Carvalho nos jogadores Raphinha, Bruno Gaspar, Viviano e Marcelo como ainda se foi gastar mais 8,5 milhões em jogadores que pouco acrescentam, como é o caso de Gudelj e de Diaby. Pior ainda, na janela de Inverno acabámos de gastar mais 14 milhões em 9 contratações, elevando o investimento em contratações na época 2018/19 para 36,5M€. Adicionalmente, um conjunto de jovens promissores que deveriam ter integrado o plantel foram emprestados ou vendidos enquanto jogadores caros e muito pouco utilizados se mantiveram no plantel e a pesar na conta de exploração. Tal obrigou a uma desalavancagem desordenada em Janeiro, que nos levou a perder jogadores influentes sem o mínimo de retorno financeiro para o clube (critério duvidoso). Portanto, e sendo objectivo, a nossa situação actual deriva do desvario que se apoderou de Bruno de Carvalho pós-comprometimento dos objectivos da época e da falta de imediato ajustamento dos custos por parte de Cintra, que teve o mérito de conseguir resgatar três "activos". Frederico Varandas só pôde actuar em Janeiro. É certo que cortou alguma massa salarial, mas tal acaba por se esbater no investimento produzido no reforço do plantel, em jogadores que o tempo dirá se foram efectivamente reforços (já deixei aqui a minha opinião de que para além de Doumbia e da esperança Matheus Nunes não vejo essa qualidade extra nos jogadores contratados) e que alguém, no futuro, terá de pagar.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 28.02.2019

    Meu caro, o nosso problema é que cada vez mais vamos a jogo com as facturas. A qualidade média do plantel decresceu bastante esta época, temos custos elevados e pouco rendimento compatível com esse custo. E temo que em breve percamos Bruno, um dos poucos, conjuntamente com Acuña e Mathieu, com aquela qualidade extra que um jogador à Sporting tem de ter.

    Há um défice estrutural nos clubes portugueses, mas o Sporting sem Champions vê esse défice alargar-se. Aliás, do meu ponto de vista, as receitas da Champions dever-se-iam inscrever nos proveitos extraordinários e não na rubrica de Outros Proveitos dos Proveitos Ordinários. Acresce que amortizações e FSE subiram bastante e causam constrangimento aos Resultados. Quanto aos Proceitos de que fala eles ajudam nos Resultados, mas não são suficientes para cobrir a Tesouraria num clube que só em custos com pessoal e FSE gastou cerca de 95 milhões de euros e que em ano e meio investiu 100 milhões de euros em contratações.

    PS: sobre Proveitos a receber, de vendas de jogadores, inscritos na rubrica Clientes do Activo, e sua omissão no discurso oficial já tive oportunidade, entre outras coisas, de falar nisso no Post ‘Surfar na maionese’.

    Saudações Leoninas
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Mais sobre mim

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Mensagens

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D

    Castigo Máximo

    De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

    Siga-nos no Facebook

    Castigo Máximo

    Comentários recentes

    • Verde Protector

      Gostei bastante do post. Muito obrigado! Fiquei co...

    • Pedro Azevedo

      Obrigado eu pelas palavras que me dirigiu.

    • Anónimo

      Obrigado pelo post , está genial .

    • Anónimo

      Este Matheus é admirável. Como todos os outros, al...

    • Pedro Azevedo

      Interessante perspectiva sua. A despertar curiosid...