Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

25
Jan19

Deus, o Diabo e a maldição do Leão Rampante


Pedro Azevedo

O futebol é, certamente, um fenómeno que atrai superstições e crendices várias. De Zandinga a Delano Vieira, passando pelos alhos de Oliveira ou encomendas ao General Professor Nhaga, a tudo se recorre quando é importante ganhar. E, claro, se o futebol para muitos é uma "religião", a fé também está sempre presente.

 

Lendo Galeano, deparo-me com um conjunto risível de episódios que marcaram o futebol brasileiro. A narrativa começa no Vasco da Gama, decorria o ano de 1937. Numa noite chuvosa, um adepto de uma modesta equipa adversária (Arubinha) enterrou um sapo e lavrou uma maldição: "o Vasco não ganhará o campeonato nos próximos 12 anos". Durante anos, funcionários, fãs e até jogadores cavaram a terra à procura do sapo. Sem sucesso! O clube dos portugueses do Rio foi comprando os melhores jogadores do Brasil, mas os resultados deixaram de aparecer. Até que em 1945, o clube conseguiu finalmente ganhar o Estadual, após 11 anos de seca, o que levou o seu presidente a declarar que Deus lhes tinha feito um pequeno desconto. 

O segundo episódio passou-se com o Flamengo, o mais popular clube do Brasil. Os seus fãs ansiavam por um título e, em 1953, foram falar com um padre católico. O Padre Góis garantiu a vitória desde que os jogadores assistissem a uma missa antes de cada jogo. A verdade é que o ‘Fla’ venceu o campeonato nos 3 anos seguintes, o que levou os seus rivais a apresentarem queixa junto de um superior do padre, o Cardeal Jaime Câmara. Ao quarto ano, o Flamengo não ganhou. Consta que os jogadores nunca mais compareceram na igreja onde o padre celebrava a missa. 

O terceiro exemplo relaciona-se com o Fluminense. O Padre Romualdo obteve autorização do Papa para se associar ao ‘Flu’. O sacerdote passou a assistir a todos os treinos do "Pó de arroz", embora os jogadores não gostassem da sua presença. Já decorriam 12 anos desde o último troféu do Fluminense e os atletas associavam o padre a um grande pássaro negro, sinal de má sorte. Muitas vezes gritavam-lhe insultos, desconhecendo que o Padre Romualdo era surdo desde nascença. Um dia, o Fluminense começou a ganhar. Um campeonato, depois outro e outro...Então, os jogadores exigiram à Direcção só treinar na sombra do padre. Após cada golo no entreinamento criaram o hábito de beijar a sua batina. Aos fins-de-semana, o padre passou a assistir aos jogos na Tribuna de Honra, muitas vezes inclusivé bramindo a sua ira contra o árbitro e os jogadores da equipa adversária(!). 

 

Vem isto a propósito de um longo ciclo sem vitórias do Sporting no campeonato nacional. Que se segue a um anterior de 18 anos. Tudo isto ajudando a que não tenhamos ganho um campeonato em ano ímpar desde 1953. Há 66 anos, portanto. Não sei, mas mal não faria se mandassemos benzer balneários, bancadas e relvado, não Vos parece?

scp.png

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 25.01.2019

    Ou, como diriam os espanhóis : ‘no creo en brujas , pero que las hay, las hay!!...’

    PS: peço para assinarem os textos, com nome ou pseudónimo, sob pena de para meu pesar não poder moderar os Vossos comentários. Obrigado pela compreensão . (Não censuro ninguém desde que defenda o seu ponto-de-vista de forma ordeira, concordando ou discordando do meu, apenas peço para ninguém fazer processos de intenção.)
  • Sem imagem de perfil

    Anónimo 26.01.2019

    Allfacinha, como pseudonimo ( Lisboeta e verde até à alma). Não descartaria se fosse nome próprio.
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 26.01.2019

    E eu, lisboeta e da Estrela, veja bem. Mais uma razão para o filme ser marcante para mim.

    Boa sorte!
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Mais sobre mim

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Mensagens

    Arquivo

    1. 2022
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2021
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2020
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2019
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2018
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D

    Castigo Máximo

    De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

    Siga-nos no Facebook

    Castigo Máximo

    Comentários recentes

    • Pedro Azevedo

      É verdade, no seu momento mais imponente o Ronaldo...

    • LMGM

      Parece-me que o único problema do Cristiano é o en...

    • Pedro Azevedo

      O golo do Rafael Leão foi uma folha seca, ainda nã...

    • Pedro Azevedo

      … E ao Rafael Leão, que não jogando bem segundo a ...

    • jpt

      nem mais. (faltará, ainda assim, uma referência ao...