Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

20
Jul20

Do mal o menos


Pedro Azevedo

Bem sei, esta temporada ficará aquém dos pergaminhos do clube. Porém, com a derrota do Braga hoje em Tondela, bastará ao Sporting uma vitória na recepção ao Vitória Futebol Clube (de Setúbal) para automaticamente assegurar o 3º lugar no campeonato. Dir-me-ão que terceiro ou quarto é igual. Não é, na medida em que o último lugar no pódio garante a passagem imediata à fase de grupos da Liga Europa e mais algum dinheiro (embora nada que se compare à Champions), evitando assim o Sporting disputar duas fases a eliminar e podendo começar a época mais tarde. Uma boa notícia, portanto. (Mas é preciso ganhar amanhã.)

14 comentários

  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 21.07.2020

    É verdade Luís, também gosto do Vitória, mas o Sporting quando entra em campo é sempre para ganhar. E vamos ganhar. Do mal o menos, esta época não ficará na nossa memória pela positiva, mas a aposta na Formação e o apuramento directo para a Liga Europa dar-nos-ão simultaneamente alguma esperança e tempo para recarregar baterias. Porem, a chegada de Jesus coloca um risco: o de procurarmos atalhos para abreviar o caminho. Ouvindo ontem o Ruben Amorim, pareceu-me que isso também o preocupa pois compreensivelmente não quer que saiamos do nosso caminho pré-definido. Vamos ver o que nos reserva o futuro. Não estou com muita ilusão face aos reforços que têm vindo a ser falados na imprensa e continuo a aguardar pelo necessário emagrecimento do plantel e custos, tantos e tão caros são os jogadores que nem no banco se sentam e estão na nossa folha de pagamentos. Precisamos de colocar os inúmeros excedentarios e de 3 jogadores de indiscutível qualidade. Caso contrário, Ruben Amorim não poderá fazer milagres, pese embora tenha pegado muito bem na equipa e seja portador de um discurso muito bom.

    Saudações Leoninas
  • Sem imagem de perfil

    Luís Ferreira 21.07.2020

    Pois eu no Feddal ainda entendo. Já discutimos isso, mas sem conhecer o jogador, quem o viu jogar diz-me que tem alguma qualidade. Mas quem sabe Amorim fará de Acuña uma espécie de Azpilicueta?

    Porém, nos casos que se falam do Adán e, sobretudo, do Porro custa-me muito entender.

    Se o Pedro não tem "muita ilusão" eu não tenho nenhuma!
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 21.07.2020

    Já dizia o Auguste Comte que tudo na vida é relativo, e esse é o único valor absoluto. O Feddal tem qualidade comparado com o quê? O Matvienko, o Nastasic, o Vertonghen? Enfim, nunca disse que era um cepo, mas se é para acrescentar do jeito que Mathieu fazia então simplesmente não é esse jogador. Quanto à Adán, acho indiscritível. Parece a parábola do Jardim de Éden e o fruto proibido. Gastar dinheiro em prémios de assinatura, comissões e ordenado robusto de um jogador que nunca pegou em grandes clubes não tem justificação possível. Em relação ao Porro, não conheço o jogador. Vejo as suas estatísticas e estão longe do brilhantismo. Mas com a reserva de nunca o ter visto jogar. Mas o que não me parece nada bem é recebermos jogadores por empréstimo. No caso, do Manchester City. Já agora, Feddal e Adán vêm do Betis e Atlético Madrid, respectivamente, clubes com que negociámos anteriormente William e Gelson que tinham rescindido. A confirmar-se parece a história da oescadinha de rabo na boca.
  • Sem imagem de perfil

    Miguel C 21.07.2020

    Já agora, Feddal e Adán vêm do Betis e Atlético Madrid, respectivamente, clubes com que negociámos anteriormente William e Gelson que tinham rescindido.

    Nem é pescadinha de rabo na boca, é a prova de que se escolheu o caminho do carrocel do jorge mendes, sabendo como isso prejudica os clubes mas fazendo de conta que não.
    Fosse pescadinha de rabo na boca e ficava, basicamente, tudo na mesma. Só que não fica. Fica muito pior.
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 21.07.2020

    Pescadinha de rabo na boca no sentido de castigo de Sísifo, estar sempre a começar de novo. Mesmo que a cada recomeçar a tona de água esteja cada vez mais longe. Aguardemos porém, nada ainda é definitivo (tanto quanto sei).
  • Sem imagem de perfil

    Miguel C 21.07.2020

    "Aguardemos" + "nada é ainda definitivo" = Pescada (antes de o ser já o era.)

    Ou, por outras palavras: igual a "já está, já está".

    O Sporting só vai ser devolvido aos adeptos já sem sad. Sobrinhos e Jorges Mendes gostam é de nos ver a discutir posições de jogadores e posições na tabela classificativa.
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 21.07.2020

    Com a minha contribuição a SAD não será vendida de certeza. Mas temo que a continuar a ser gerida desta forma essa opção venha a ganhar algum peso e adeptos.
  • Sem imagem de perfil

    Miguel C 21.07.2020

    O que agora é "opção", com esta "gestão" não vai ser opção nenhuma, vai ser imposição. É para isso que esta "administração" trabalha. A "opção" não vai ganhar adeptos. Os que já não a apoiam agora nunca a apoiarão mais tarde. Quem a vier a apoiar no futuro ou tem interesses pessoais nisso ou, no que diz respeito ao Sporting, é parvo. E, lamentavelmente, há muitos parvos Sportinguistas por aí. Dá pena ver posts escritos por eles. E são tantos ... se era a esses que o Pedro se referia, bem que pode começar a tentar abrir-lhes os olhos, pois só vêem Bruno de Carvalho à frente e deixam de ver o que deviam.
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 21.07.2020

    O Miguel C não pode esperar que chamar parvas às pessoas colha simpatia da parte delas. Para além de que nada acrescenta aos seus argumentos, que esses sim mereceriam atenção. Mas acabam traídos nesse palavreado. Esse aliás é muitas vezes o ponto para que as pessoas não se encontrem ao meio numa discussão. De um lado e do outro. Depois vem sempre alguém falar da forma e do conteúdo, como se a forma não fosse igualmente importante e precisássemos de andar a chamar nomes uns aos outros. Enfim...

    Quanto a Sportinguistas, eu nunca os dividi entre classes, muito menos entre os que escrevem aquilo em que me revejo ou não. Quando escrevo, escrevo para todos. Já fomos mais, só faltava mesmo eu ainda me pôr a dividir...

    Miguel C, isto não é nada contra si, mas se queremos um clube melhor e vincar os nossos argumentos precisamos de argumentos. só.

    Saudações Leoninas
  • Sem imagem de perfil

    Miguel C 23.07.2020

    (...)
    Usei parvo, não usei nada que se parecesse com viúva, letal ou outros em que o actual presidente é corrente, seguido dos tais "bloguistas" que tentam fazer-se parecer sérios mas que se portam muito mas muito mal!! Por vezes já nem polidamente. Mas pretendem-se diferentes da escumalha e, evidentemente, mais sérios...

    E é aqui que retomo o conteúdo de que se tratava e porque usei o termo parvos: A falta de "perspicácia" de quem tem podido analisar a gestão actual do Sporting, recusando no entanto ver que o caminho trilhado vai levar, muito provavelmente (não escrevo "inequivocamente" porque parecia parvo), à venda da sad. Já nem ponho a questão de esse caminho poder ser propositado, o que seria, evidentemente, dramático...
    Essa gente (lamento mas tenho que diferenciar) ao não conseguir ver ou não querer ver, está a ser ... parva. Pelo menos parva no sentido de pequenina, de vistas curtas.
    E está a sê-lo por teimosia ou por distracção.
    Teimosia ou distracção para não referir a possível má- fé mas isso são outros quinhentos.
    Nenhuma destas duas opções foge muito, pelo menos, da tolice ou ingenuidade ... e prejudica muito seriamente o Clube. Prejudica, mesmo, o Sporting Clube de Portugal.

    Há mais vida para além do Sporting e os meus 53 anos talvez não justifiquem, antes pelo contrário, portar-me como um parvo, mas ver o Sporting retomar o caminho trilhado pelo Godinho Lopes e antecessores deixa-me furioso. Ver esse mau caminho sustentado por gente que, diga-se o que se disser, é referência, deixa-me furioso. É lamentável mas o termo é furioso. Principalmente quando foi demonstrado, sublinho o demonstrado, que é possível fazer bem.
    Não advogo o retorno do Bruno de Carvalho, mas exijo que se aproveite o que a equipa dele demonstrou poder e dever ser feito. Ser bem feito. E queria muito que isso fosse sustentado por quem diz que quer bem ao Sporting!! e não o contrário ...Só isto.

    Termino com uma questão que já lhe coloquei anteriormente mas que por uma ou outra razão (eventualmente ter sido colocada fora de contexto) não teve resposta e, sinceramente, preciso dela:
    Se o Pedro Azevedo vier a ser presidente do Sporting vai combater (o termo é, lamentavelmente, mesmo este) o lodaçal em que ambos sabemos que o futebol Português se move? É um trabalho que não pode ser executado de forma "invisível"...
    Os adeptos Sportinguistas precisam disso como pão para a boca.
    É um combate que lhe vai deixar marcas, que lhe vai criar problemas. Eventualmente pessoais. O Pedro sabe isso. Mete-se nisso?
    Eu não o conheço mas é razoável dizer que estou esperançado em vê-lo pelo menos debater em campanha eleitoral.
    Seguir o que escreve e advoga para o Sporting Clube de Portugal dá-me algum alento, mas preciso daquilo que o BdC deu: evidência de escolha de um caminho de ruptura com o sistema, única forma de servir o Sporting.
    Se não for a única peço-lhe que me elucide, pff.

    um abraço
    Miguel Canana
    SL
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 23.07.2020

    Caro Miguel, temos exactamente a mesma idade e como tal atravessámos os mesmos ciclos do clube. O Miguel lembrar-se-á da primeira vez que entrou no estádio, do sortilégio que isso foi para si (como para mim), das vitórias (escassas) nos campeonatos, dos momentos vividos naquele pavilhão sufocante ao lado do pelado e mais tarde na Nave. Não tenho com certeza nada para lhe ensinar sobre o Sporting. Mas aquilo que disse, e não retiro, é que muitas vezes dificultam-se pontos de união entre pessoas pela forma como nos expressamos. E se isso acontece creio que não vale a pena depois alegarmos que é a forma e não o conteúdo, porque entretanto o interlocutor com quem poderíamos ter feito a ponte foi embora e já não volta.

    Em relação ao nosso futebol, estou farto de ver o Sporting D Quixote das segundas-feiras a lutar contra moinhos, O Miguel conhece alguma medida do Sporting para o futebol português? Eu não. Ora, a primeira coisa a fazer é apresentar um pacote de medidas que envolvam Código de Conduto dos agentes desportivos, supervisão dos capitais de constituição das SAD, regras de prevenção de conflitos de interesse, promiscuidade, tráfico de influências e branqueamento de capitais, transparência quanto a arbitragem e disciplina, alteração dos formatos competitivos de campeonato e taça da liga. Entregar isso na Federação, Liga, AR, governo, PR, publicitar em todos os meios de comunicação social. E, inteligentemente, lutar por reacções, pela implementação dessas medidas. De forma a que seja impossível ignorar a montanha de propostas que lhes viermos a colocar sobre a mesa, não perdendo uma oportunidade - ao contrário do que vou vendo por estes dias em que nem sequer se aproveita as notórias fragilidades que são publicas de um adversário - para voltar ao assunto. Essa é a luta que tem de ser feita. A falta de trabalho de casa depois reflecte-se no rasgar das vestes, mas isso não serve a ninguém, nada resolve. Eu não posso ter uma Direcção que actua como um adepto, queixando-se do sucedido - hoje, antes achavam que falar significava uma de 3 coisas.. - e nada propondo para alterar o status-quo.

    Um abraço
  • Sem imagem de perfil

    Miguel C 23.07.2020

    Eu presumo que tenha visto os dois comentários ... era longo e enviei um outro antes do único que aparece publicado. Mas até nem importa.

    Não tenho certezas no que concerne a "uma Direcção que actua como um adepto" mas é fácil compreende-lo. Uma coisa é certa, vai ter de alguma forma que empolgar uma valente massa adepta. Empolgar.
    Também não tenho nada (mesmo) para lhe ensinar, mas há um estádio para encher, há rotinas para devolver aos sócios, que vão tomar decisões instintivas e inconscientes. Não vai ser pela leitura de documentos. Não vai ser só pelas propostas, vai ser pela demonstração das suas convicções. Da sua convicção.

    Não sei se estou a dar apoio ou a fazer um apelo.
    Honestamente, queria estar convencido em si vez de estar esperançado si.

    Abraço
    SL
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 23.07.2020

    Caro Miguel, eu li com atenção tudo o que escreveu. A razão de responder rápido é o facto de ter convicções, nada mais. O estádio para encher... por isso digo que cada tema não é estanque. Eu estou certo de que um futebol positivo, que distraia as pessoas em vez de lhes acentuar ainda mais as frustrações diárias - o que aí vem, do ponto de vista económico, não será fácil - também será importante para que esse objectivo seja atingido. Creio que a comunicação do clube tem de ser para os sócios, a razão disto tudo. Deve inspira-los, envolvê-los num ideal comum. A comunicação em nenhum momento deve ser defensiva, protectora de um Conselho Directivo. Não, estamos todos de passagem e se Deus quiser (e o Homem sócio fizer por isso) o clube será perene. Este confunde-se com os sócios e adeptos, o seu maior património. Ora, temos de ir atrás dos sócios, adeptos e simpatizantes. Pela positiva, sempre. Eu gostaria de ver presidências abertas, que uma vez por mês o presidente pudesse passar 2-3 dias num concelho do país, coordenando com núcleos, câmaras e outros Sportinguistas uma forma de juntar o máximo de pessoas nesses encontros. Levando sempre com ele o responsável pelo pelouro dos sócios, bem como o responsável pelo pelouro da juventude e o responsável do merchandising. O Sporting tem de voltar a estar presente ao pé das populações, algo que antigamente ocorria através do ciclismo, por exemplo.

    PS: a linguagem dos “esqueletos’ provém de uma singular forma de entendimento de um mandato presidencial. Se pensarmos que ‘estamos’ presidentes, e não que ‘somos’ presidentes, nada disso acontecerá, porque o mandato é um serviço que se presta ao clube, uma pequena compensação por tudo aquilo que o clube a nós nos dá ao longo dos anos. E eu, no meu caso pessoal, não quererei eternizar-me nesse papel. Daí querer a limitação de mandatos e um dia poder voltar para a bancada ao lado dos meus amigos e de todos os Sportinguistas.

    Um abraço e obrigado. Penso que provámos aqui que podemos concordar, mesmo quando discordamos aqui e ali. E era isso que eu gostaria de extrapolar para todo o universo leonino.

    Saudações Leoninas

  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Mais sobre mim

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Mensagens

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D

    Castigo Máximo

    De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

    Siga-nos no Facebook

    Castigo Máximo

    Comentários recentes