Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 17.09.2020

    Estive a pensar naquilo que escreveu e de que forma lhe poderia adequadamente transmitir a minha forma de estar e de agir. Ora, aqui vai: tenho muito poucas dúvidas de que o problema deste país é a corrupção e a não valorização da meritocracia. Mas aquilo que são as minhas convicções não pode ser confundido na minha vida com as minhas razões. Quando uma pessoa se foca em ter razão vai estar a defendê-la e a atacar as razões dos outros. Isso transforma-se numa batalha de egos, aumenta a crispação e descentra do essencial. O essencial não é eu procurar fazer algo no sentido de ver as minhas convicções reconhecidas, mas sim fazer algo de forma a na prática fazer a diferença. Na minha vida, desde logo. Nas empresas. Em sociedade. Por isso entendo, e sempre entendi, que o fundamental é a criação de um conjunto de princípios e procedimentos que visem prevenir os conflitos de interesse, promiscuidade, tráfico de influências, etc.

    Agora, voltemos à realidade do Sporting e do futebol português: fala-se muito em interesses instalados ao longo dos anos. A forma de lidar com isso do meu ponto de vista não é levantar a espada contra os moinhos. Claro que isso estimularia o meu ego, mas para além de lhe dar alimento o que mais retiraria disso? Ruído, certamente. Ora, eu devo trabalhar é no sentido de prevenir a ocorrência de tais coisas como forma de com eficácia lutar contra os interesses. Fazendo-o no Sporting e lutando para que tal esteja como prioritário na agenda da Liga, não desistindo até que esse conjunto de normas e procedimentos seja aprovado. Alertando as autoridades deste país e a opinião pública para a necessidade de tal ocorrer. Essa é que é a luta que faz sentido travar. Voltando ao nosso clube, boas práticas de gestão, doutrina social e uma boa política desportiva serão essenciais ao futuro do Sporting. Digo-o há pelo menos 3 anos, escrevendo sobre aquilo que na minha óptica deveria ser feito. Espero ter sido claro em relação ao que é a minha visão.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Mais sobre mim

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Mensagens

    Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2019
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2018
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D

    Castigo Máximo

    De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

    Siga-nos no Facebook

    Castigo Máximo

    Comentários recentes

    • Pedro Azevedo

      Muito bem mesmo, caro Salgas. Ambos jovens, com pr...

    • Salgas

      As duas combinadas desse modo ainda não tinha vist...

    • Pedro Azevedo

      Caríssimo Aboím,Vilar das Perdizes está no mapa pe...

    • Anónimo

      Menos sobrenatural esta frase da escritora polaca ...

    • Anónimo

      Caro Pedro,Do meu tempo (de Portugal, entenda-se) ...