Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

25
Jul19

Saudades de alguém ainda presente


Pedro Azevedo

Javier Marías, um grande vulto da literatura que nunca sentiu complexos em escrever sobre futebol e o seu Real Madrid, dizia que uma das piores coisas da vida era quase nunca se saber quando seria a última vez do que quer que seja. Não saber no momento próprio que aquele era o último romance de Bernhard, ou o último filme de Hitchcock, ou mesmo o último dia da nossa existência, pairando assim aquela sensação de que o que houve não chega, e de que não desfrutámos o que poderíamos se soubessemos que aquela seria a última vez.

 

Este trecho veio-me à cabeça a propósito da angústia que venho sentindo nesta pré-época de cada vez que vejo jogar Bruno Fernandes. Tenho a sensação de que algo que me entusiasma se encaminha para o fim, e já não consigo desfrutar da mesma forma do prazer que é ver jogar esse enorme craque sem que o meu pensamento seja tolhido pela melancolia de que essa possa ser a última vez. A cada novo golo, assistência ou malabarismo, um peso vai invadindo a minha consciência.  No fundo, sinto-me nostálgico por ter saudades de alguém ainda presente, um estado de alma que o Leitor poderá considerar um paradoxo, mas que não deixa de ser real. Nesse transe, como poderei eu festejar entusiasticamente como outrora cada lance de génio do Bruno, já sentindo tanto a sua (futura) ausência? Apre, que este mercado mais parece o purgatório do mundo sportinguista! 

 

PS: Se Bruno sempre foi o pensador, o homem que escreveu as páginas mais belas do Sporting destes últimos dois anos, Wendel é puro instinto. Ele é samba, ele é ritmo, ele é música. Uma lástima Jorge Jesus não ter compreendido que a música, ao contrário da letra, não precisa de tradução para mandarim...  

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Carlos Santos

    * O "porque" encontra-se a mais... ia justificar a...

  • Miguel C

    Assumo a minha impaciência. E admito que ela talve...

  • Carlos Santos

    Caro Pedro Azevedo,Sou, em teoria, algo resistente...

  • Anónimo

    Bom dia Pedro,Duas questões muito pertinentes as l...

  • Anónimo

    De Magyar Calabresi,Caro Pedro,Estou de facto a pe...