Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

13
Mar19

Um agente de mudança


Pedro Azevedo

Os resultados do Sporting nas últimas décadas estão indelevelmente associados à crise de valores na nossa sociedade e à falência das instituições que nos superintendem. 

 

O clube, com a nobreza de valores que o acompanha desde a sua fundação, foi absolutamente trucidado por uma sociedade que hipervaloriza o dinheiro em detrimento do mérito e da conduta ética.

 

Nessa conformidade, e de forma a podermos manter a nobreza da nossa actuação, é importante que os sportinguistas e sua Direcção se consciencializem de que têm de ser um agente de transformação, de mudança. É que a inacção, no actual contexto, não será prudente, mas sim radical, e contribuirá para um ainda maior agravamento da nossa situação.

 

Temos de interiorizar que o sucesso não é só o resultado final, mas sim, essencialmente, o caminho que é percorrido e as escolhas que fazemos. Isso, que define um homem bem sucedido, ou um "homem do bem", é também válido para as instituições. Assim, perante o meio que nos envolve, o Sporting não pode ser conformista ou situacionista, tem de agir e protagonizar as reformas que urge implementar.

 

O desporto e o futebol necessitam desse Sporting heterogéneo na sua raíz de apoio, mas homogéneo no repúdio de certo tipo de comportamentos de que enfermam as competições. Por isso, não há que tergiversar nem hesitar, mas sim despertar uma raíz renascentista que nos liberte do espartilho que nos querem impôr, algo que para ser obtido necessita de que quem dirige saiba ouvir e arregimentar. 

 

Para terminar, deixo-vos com uma citação do Marquês de Maricá: "Os homens sem mérito algum, brochados de insígnias e de ouro, são comparáveis a maus livros ricamente encadernados". 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Anónimo

    Boa noite Pedro:Mais um post assertivo, como usual...

  • Pedro Azevedo

    Anime-se. Há vida para além do défice. Há é que lu...

  • Pedro Azevedo

    Não tem de agradecer. Tenho opinião formada sobre ...

  • Pedro Azevedo

    Não. Para já saiu uma notícia pequena pescada nas ...

  • Verde Protector

    Muitíssimo obrigado, Pedro Azevedo, pelas resposta...