Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

18
Abr20

Uma crise que é uma oportunidade


Pedro Azevedo

Qualquer crise, seja ela económica, financeira ou sanitária, constitui uma ameaça. Mas é também uma oportunidade, uma forma de reinvenção, renovação, renascimento. Quantas reformas necessárias não ficam na gaveta, vencidas pela inércia e por interesses individuais que não se conjugam com os de um todo, à espera de uma oportunidade como esta? 

 

No caso particular do futebol português urge criarem-se condições para que o produto possa ser mais vendável nacional e internacionalmente, atraindo operadores de televisão além-fronteiras interessados na divulgação da nossa Liga e novos patrocinadores associados. 

 

Em primeiro lugar, há que dotar de outra competitividade o nosso principal campeonato. A Primeira Liga tem de ser o nirvana para quem a alcança e não o purgatório para os clubes do meio da tabela para baixo, sempre numa luta pela sobrevivência desportiva e financeira. Questões como as de uma melhor distribuição das receitas ou do redimensionamento do número de clubes na elite à nossa realidade demográfica serão importantes discutir, assim como as da reorganização dos calendários competitivos ou da eficácia dos regulamentos e transparência, integridade e equidade das decisões arbitrais e disciplinares. 

 

Evidentemente, tudo isto só será possível se tivermos pessoas à frente da Liga de Clubes mais preocupadas com a capilaridade do futebol português do que com a cera para o seu cabelo, empenhadas em garantir a idoneidade e qualidade do produto e dispostas a promovê-lo nesse pressuposto e sem receio de ficarem sem emprego, com sentido de "estado". É que um político preocupa-se com a próxima eleição, um "estadista" deve preocupar-se com a próxima geração, com a sustentabilidade. Que avancem as necessárias reformas!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Mais sobre mim

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Siga-nos no Facebook

Castigo Máximo

Comentários recentes

  • Anónimo

    Boa noite Pedro:Mais um post assertivo, como usual...

  • Pedro Azevedo

    Anime-se. Há vida para além do défice. Há é que lu...

  • Pedro Azevedo

    Não tem de agradecer. Tenho opinião formada sobre ...

  • Pedro Azevedo

    Não. Para já saiu uma notícia pequena pescada nas ...

  • Verde Protector

    Muitíssimo obrigado, Pedro Azevedo, pelas resposta...