Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Castigo Máximo

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

Castigo Máximo

18
Mar19

Uma verdade inconveniente


Pedro Azevedo

Todos queremos uma equipa de futebol competitiva, mas é preciso dizer que isso não pode continuar a ser tentado com os orçamentos milionários de 2017/18 e desta temporada. De facto, só entre o populismo e a quimera é que se pode admitir que a SAD tenha gastos gerais administrativos na ordem dos 110 milhões de euros a que, para efeito da Demonstração de Resultados, se devem acrescentar 28 milhões de euros de amortizações. Tudo somado, são 138 milhões de euros a pesar negativamente nos Resultados. E os Proveitos (Receitas/Rendimentos), perguntará o Leitor? Ora, em termos de Proveitos Operacionais (excluindo vendas de jogadores) a Sporting  SAD registou na época passada um valor de cerca de 92 milhões de euros. Adicionalmente, se a esse montante descontarmos 26 milhões de euros provenientes da participação na Champions League, então os Proveitos Operacionais seriam apenas de 66 milhões de euros, isto assumindo que não teríamos uma queda importante a nível de bilheteira. Ora, fazendo uma conta simples de subtracção, conclui-se que para a SAD ter um Resultado zero precisa, com este tipo de orçamento, de vender jogadores no valor de 72 milhões de euros. Esta é uma verdade certamente inconveniente para alguns, mas é a realidade pura e dura. Como tal, para não termos como noutros tempos de alienar desordenadamente os melhores jogadores do plantel há que cortar na classe média/baixa do plantel, ficando apenas com os jogadores de top e de qualidade alta e recorrendo à Formação para completar o quadro de jogadores. 

 

Imaginando um orçamento de custos com pessoal de 50 milhões de euros, então mesmo sem Champions teríamos um défice, antes de venda de jogadores, de 48 milhões de euros, algo que com os Proveitos da Liga Europa baixaria para cerca de 40 milhões de euros. Com a Champions, o défice suavizar-se-ia para um valor à volta de 20 milhões de euros.  

 

Há decisões muito importantes a tomar brevemente para resolver o problema de tesouraria, mas há opções ainda mais relevantes a terem de ser seguidas no final da época no que concerne à definição do plantel para 2019/20. Todos sabemos quem são os 8/9 jogadores de qualidade que compõem o plantel pelo que temos de tentar colocar aqueles que não são predominantes. E conseguir um valor razoável por eles. Se possível, um valor igual ou superior àquele que pagámos por eles, situação que nos ajudaria a reduzir o "gap" para 2019/20.

 

Há quem defenda parcerias e outras situações, mas isso implicaria a perda de parte dos passes dos jogadores e influência desmedida dos empresários e/ou fundos de investimento, algo que já experimentámos no passado com os resultados desastrosos que todos conhecemos. Como tal, deveremos pensar sim numa estratégia que assente no desenvolvimento de jogadores jovens enquadrados por uma massa crítica de atletas de indiscutível qualidade, tudo supervisionado por um treinador que não tenha objecções nem receios em apostar na nossa Formação. E sim, temos de fazer muito melhor com menos quantidade, até porque esta não é de todo sinónimo de qualidade. Se assim fosse, China, Índia, Estados Unidos e Indonésia, os 4 países mais populosos do mundo, seriam campeões mundiais crónicos no futebol, mas não é isso que acontece, pois não? À laia de exemplo, O Sporting de Braga tem custos com pessoal de 18 milhões de euros e consegue ser competitivo. O que é preciso é implementar um processo, haver um pré-diagnóstico sobre os jogadores da Formação que nos interessam, uma racionalização dos custos e apostas cirurgicas, com critério, em jogadores de indiscutível valor intrínseco e que venham adicionar qualidade à nossa equipa principal. 

 

Meus caros, se isto não for feito rapidamente daqui resultará o marasmo. Estamos a esgotar os créditos todos e se perdermos mais tempo acabaremos a vender ao desbarato os Bruno Fernandes, Acuña (esteve por um fio em Janeiro), Coates e afins, sómente para pagar salários. Chegados a esse ponto, aí sim, as esperanças desvanecer-se-ão. Se é verdade que esta Direcção não pôde actuar no início da época, também é um facto que a sua actuação no mercado de Inverno levanta várias questões. Por outro lado, o treinador não está a saber tomar as opções que nos conduziriam à sustentabilidade económico/financeira. Se daí resultasse que os resultados desportivos fossem muito bons, então aconselhar-se-ia um compasso de espera, mas infelizmente também aí as coisas não estão a correr bem, pelo que a situação caminha para se tornar insustentável. 

 

Esta é uma verdade inconveniente que resulta da simples leitura de um Relatório e Contas. Os sócios do Sporting que façam as suas próprias contas.

4 comentários

  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 18.03.2019

    Caro João Gil,

    ainda bem que começou com a parte do treinador para que não fiquem dúvidas. O que eu quis dizer não foi que o treinador é o responsável pela política desportiva, mas sim que a consequência da sua não aposta na Formação é muito má para o clube do ponto de vista da sustentabilidade económico/financeira. E como os resultados desportivos também não são bons temos um "double-hit". Ora, tendo a Frederico Varandas anunciado que a escolha do treinador obedecia essencialmente a um modelo de futebol positivo e à aposta na Formação, conclui-se que algo não está a correr bem aqui, tendo isso consequências futuras para a SAD.E não tenha dúvidas que a aposta em Gudelj e em outros jogadores que não fazem a diferença nem mostram rendimento para a exigência do Sporting prejudica a ascensão de outros, nos quais depositamos esperanças e ainda estão numa idade onde é de admitir um bom potencial de valorização.

    Fala-me da questão de tesouraria, que é relevante, mas o que me preocupa verdadeiramente é o modelo económico de sustentabilidade. Temos de cortar custos e temos de fazê-lo inteligentemente, mantendo os nossos melhores jogadores. Não é possível continuar a sustentar uma classe média/baixa de futebolistas quando os nossos da Formação são de valor equivalente ou até melhor e muito mais baratos. Isso está na origem de défices constantes de tesouraria e de resultados acumulados desastrosos da SAD. Também há que desenvolver uma metodologia que resolva o impasse da subida dos jogadores aos seniores, entre muitas coisas que enuncio nos meus últimos posts de hoje.

    Mas quero, essencialmente, agradecer-lhe a participação, que creio ser a primeira neste blogue, e o imput que aqui nos deixa.

    Obrigado!


  • Sem imagem de perfil

    João Gil 18.03.2019

    Obrigado, caro Pedro Azevedo. Se o tema tiver substância, como foi o caso do post que publicou, eu terei todo o gosto em comentar. Estamos de acordo no essencial, aliás.
    Para que saiba, sou sócio com + de 25 anos de associado e outros tantos mais de adepto, daqueles que aprenderam a ser do Sporting bem longe do estadio de Alvalade, a ouvir os grandes nomes em relatos pela rádio e a sentir o Sporting e os seus heróis no estádio dos coqueiros.
  • Imagem de perfil

    Pedro Azevedo 18.03.2019

    Hehehehe! Ao fim de dois meses, não sei se tome esse seu "se o tema tiver substância terei todo o gosto em comentar" como um elogio. Fez-me lembrar o M. Silva Brito e aquela sua deliciosa tirada: "gosto muito de elogiar as pessoas, mas elas dão-me raras oportunidades".

    Cumprimentos para si e para Luanda. Tive a oportunidade há uns anos de conhecer o estádio dos Coqueiros.
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Mais sobre mim

    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Mensagens

    Arquivo

    1. 2021
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2020
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2019
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2018
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D

    Castigo Máximo

    De forma colocada, de paradinha, ou até mesmo à Panenka ou Cruijff, marcaremos aqui a actualidade leonina. Analiticamente ou com recurso ao humor, dentro ou fora da caixa, seremos SPORTING sempre.

    Siga-nos no Facebook

    Castigo Máximo

    Comentários recentes

    • Pedro Azevedo

      Boa noite, caro José Lopes, Bem lembrado! O meu av...

    • Anónimo

      Caro Pedro, boa noite!Já agora, e caso desconheça ...

    • Pedro Azevedo

      Caro José Manuel David, dizem que a alta competiçã...

    • Anónimo

      Caríssimo:já dei umas boas gargalhadas à conta da ...

    • Pedro Azevedo

      Para lã daquela defesa por instinto na primeira pa...